Os deputados Andrés Sanches (PT) e Antonio Goulart (PSD), ambos de São Paulo, apresentaram no dia 11 de fevereiro o Projeto de Lei 324/2015. Se for aprovado, instituirá o Dia do #Corinthians, a ser comemorado no dia 01 de setembro, data da fundação do clube. O projeto, conforme informações do site oficial da Câmara de Deputados, aguarda despacho do presidente da casa, Eduardo Cunha (PMDB/RJ)

Deputados possuem ligações com o clube

Os deputados Antonio Goulart e, especialmente, Andrés Sanches possuem fortes vínculos com o Corinthians. Goulart, eleito com 92.546 votos no pleito eleitoral do último ano, possui ligação com a Gaviões da Fiel, principal torcida organizada do clube e propôs, durante o seu mandato de vereador em São Paulo, o Dia da Independência Corintiana. A data é comemorada no dia 04 de julho, dia em que o Corinthians conquistou pela primeira vez a Taça Libertadores da América e faz parte do calendário de eventos da cidade.

Já Andrés Sanches é uma figura conhecida no cenário futebolístico do país. Além de presidir o Corinthians durante o período de 2007 a 2011, foi diretor de seleções da CBF entre 2011 e 2012. Ainda hoje, atua diretamente na administração do clube, exercendo o cargo de superintendente de futebol. Foi eleito deputado federal com 169.834 votos.

O projeto

Na justificativa do projeto, disponível na íntegra no site da Câmara Federal, os deputados apresentam um relato da fundação do Corinthians e da origem de seu nome, além de lembrar que o dia de São Jorge (padroeiro do clube), comemorado em 23 de abril, foi oficializado pela Câmara de Vereadores de São Paulo como o Dia do Torcedor Corintiano.

O texto salienta ainda que o Corinthians foi o primeiro clube paulista a admitir jogadores pobres e o segundo do Brasil a aceitar jogadores negros, o que demonstraria que sua contribuição para a sociedade brasileira vai além do mérito esportivo.

Apesar do claro apoio dos torcedores corintianos à sua candidatura, o projeto apresentado não fazia parte das prioridades anunciadas por Andrés Sanches enquanto candidato. Dentre as suas principais bandeiras, a saúde e a educação figuravam como 'prioridades para um Brasil melhor'.