Os fãs de tênis que compraram ingresso apenas para a final do Rio Open 2015 certamente terminaram o sábado desapontados. Isto porque não será o astro Rafael Nadal a estar na quadra neste domingo disputando o título da competição. Em seu lugar, Fábio Fognini, italiano número 28 do mundo, que de virada, bateu o espanhol na noite deste sábado em jogo eletrizante, com parciais de 1/6 6/2 7/5, em duas horas e dezessete minutos de partida. Fognini enfrenta na decisão outro espanhol, David Ferrer, que mais cedo bateu sem dificuldades o austríaco Andreas Haider-Maurer.

Essa foi a primeira derrota de Nadal no Brasil, em sua carreira.

Publicidade
Publicidade

Antes, havia vencido duas vezes o Brasil Open (2005 e 2013) e uma vez o Rio Open (2014).

No circuito profissional, os tenistas haviam se enfrentado quatro vezes antes do jogo de hoje. E todos os resultados tiveram o mesmo desfecho: vitória de Nadal. O início do confronto deste sábado parecia que apenas serviria para aumentar esse placar. Com facilidade, o espanhol abriu logo 5/0 e perdeu apenas um game antes de fechar a parcial em 6/1 em rápidos 35 minutos.

Nos três primeiros games do segundo set, três quebras. Mas o 2/1 favorável a Nadal teve efeito reverso. Apesar de estar atrás no placar, foi nesse momento que Fognini cresceu. Famoso por discussões e polêmicas dentro de quadra, o italiano manteve a cabeça no lugar mesmo depois de discutir com o árbitro brasileiro Carlos Bernardes.

Publicidade

A discussão ocorreu por um toque na rede do jogador, que alegava que o ponto já havia sido definido.

E o jogo seguia quente. Mais regular no fundo de quadra, pegando a bola na subida e abusando dos winners de backhand, Fognini abriu 5/2 e aí foi a vez de Nadal perder a cabeça com Bernardes, que deu duas advertências ao espanhol por retardar o reinício de jogo.

"Vou pedir para você não arbitrar mais os meus jogos. Não tenho nada contra você, mas você é quem mais me coloca pressão em todo o circuito. Basta ver nos vídeos. Não dá mais", reclamou Nadal ao árbitro.

Com mais uma quebra de saque, Fognini fechou o segundo set em 6/2, empatou o jogo e entrou cheio de confiança no nervoso terceiro set. Confirmações de saque marcaram a decisiva parcial. Com 5/4 contra, Nadal ganhou ainda mais o apoio do público e empatou a partida. No game seguinte, visivelmente sentiu um incômodo na virilha, ao deslizar pelo saibro e viu o rival fazer 6/5. Sacando na pressão, Nadal resistiu o quanto pôde, mas após uma linda deixadinha de Fognini perdeu o saque, a partida, o terceiro lugar no ranking e pela primeira vez no Brasil.

Nadal também tem dias ruins.