Flamengo 2x1 Vasco - Carioca 2015

Palco da final da Copa, o Maracanã sucumbiu à forte chuva que assolou o Rio de Janeiro neste domingo, até virar um completo banhado. As imagens de um solo quase branco, tomado por poças d´água que se uniam umas às outras, ganharam destaque no noticiário esportivo e chamaram a atenção antes do árbitro da partida João Batista Arruda tomar a inevitável decisão de paralisar o jogo. Por cerca de 50 minutos, Flamengo e Vasco esperaram no vestiário com uma vantagem parcial dos rubro-negros, decorrida de um gol de Alecsandro em uma bola traiçoeira que se ofereceu ao avante após deitar-se na água sob um gol vazio.

Publicidade
Publicidade

O banho de chuva enfrentado por flamenguistas e vascaínos soma-se a outros recentes episódios que, do céu, caía a principal personagem do espetáculo.

Grêmio 1x1 Palmeiras - Brasileirão 2008

Comandado por Celso Roth, o Grêmio era a surpresa do brasileiro daquele ano ao brigar pelo título mesmo com as decepções no Gauchão e na Copa do Brasil durante o primeiro semestre. Naquele 27 de julho de 2008, abaixo de uma chuva que não poupou a capital dos gaúchos durante todo o final de semana, o tricolor recebia o Palmeiras de Luxemburgo, Alex Mineiro, Kléber Gladiador e Diego Souza, em um duelo direto pelas primeiras posições do certame. Graças a uma boa drenagem do velho Olímpico o árbitro Wagner Tardelli não precisou interromper a partida, que terminou empatada em 1x1, gols de Anderson Pico para o Grêmio e Alex Mineiro para o Palmeiras.

Inter 1x0 Santos - Brasileirão 2007

Dias após erguer a taça da Recopa Sulamericana sobre o Pachuca, do México, o Inter de Alexandre Gallo tentava embalar no campeonato brasileiro contra um Santos que ainda sentia na pele os efeitos da traumática eliminação na semi-final da Libertadores para o Grêmio.

Publicidade

Em um Beira-Rio encharcado do gramado à arquibancada, foram necessários até baldes para retirar o excesso de água nas casamatas. Em campo, a bola rolou. Ou melhor, tentou rolar. No único lance que lembrou um jogo de #Futebol na partida, Alexandre Pato encontrou o ângulo do goleiro Roger e saiu em disparada para comemorar atirando-se na água acumulada atrás do gol. Na chuva do Beira-Rio, Pato manda no Peixe.

Corinthians 1x1 Portuguesa - Paulistão 2009

Com um sósia de Bin Laden abrigando-se da chuva em um banheiro químico do Pacaembu, Corinthians e Portuguesa até entraram no gramado, mas só jogaram 4 minutos até o juiz Flavio Rodrigues Guerra suspender a partida. A paralisação chegou a durar uma hora, o que levou a praticamente todos os torcedores deixarem o estádio. Para a surpresa de todos, Guerra reiniciou o jogo, que teve um gol para cada lado, Christian abriu para a Lusa e Otacílio Neto empatou. O jogo ainda marcou uma discussão entre o atacante Edno, da Portuguesa, e o treinador Mano Menezes.

Publicidade

Após o jogo, Edno disse que "ele já foi mais humilde" e reclamou de um suposto tapa desferido pelo treinador na saída para o intervalo.

São Paulo 0x1 Ituano - Paulistão 2014

Para a alegria de uma torcida inflamada e ávida em ver o maior rival eliminado, o São Paulo "atendeu" o clamor das arquibancadas, perdeu de 0x1 para o Ituano no Morumbi e tirou o Corinthians das fases decisivas do Paulistão de 2014. Mais tarde, o mesmo Ituano sagraria-se campeão daquela edição do estadual, ao bater o Santos nos pênaltis na grande decisão e devolvendo o título ao interior dez anos depois do São Caetano ter erguido a taça. Mas, naquele 16 de março de 2014, quem roubou a cena foi a forte chuva que rapidamente ganhou o gramado e forçou a paralisação da partida tão logo os primeiros granizos foram avistados. #Entretenimento