No jogo que aconteceu nesta quarta-feira (18), em Bogotá, na Colômbia, pela Copa Libertadores da América, o grande destaque e peça chave na vitória do GALO contra o Santa-Fé por 1x0 foi o lateral Marcos Rocha. 

Os jogadores realizaram uma partida onde somente a vitória interessava e uma derrota levaria o time a ficar em desvantagem e fora da competição. O Atlético foi campeão pela 1ª vez em 2013, e a torcida espera que o clube repita o feito e seja novamente vitorioso. A cobrança por parte dos torcedores acabou refletindo nos jogadores que sentiram na pele a necessidade de corresponder com uma vitória. 

Marcos Rocha sentiu o drama da pressão e disse que ´quando entrou no ônibus chorou´, pois ele passou por uma superação: estava contundido e fez um trabalho de reabilitação e preparo físico com a fisioterapeuta do clube conseguindo seguir com o grupo para o jogo. 

O GALO vinha de derrotas e na chave do grupo 1 estava na última colocação. Os #Jogos anteriores foram ruins, isto ocorreu pela falta de garra e força por parte dos jogadores, O técnico Levir Culpi chegou a questionar a atuação e desempenho dos jogadores pois para ele é de suma importância estar com o´espírito de Libertadores´. 

Na partida desta quarta o técnico contou com a volta do atacante Lucas Pratto que também estava contundido e o mesmo marcou o gol da vitória do Atlético. O jogador Cárdenas jogou como titular e equilibrou o time, seus passes foram fundamentais pois é muito técnico e habilidoso e de agora em diante o técnico poderá contar com ele para as próximas partidas. 

O time após a partida respira aliviado pois pontuou e segue na competição e o seu próximo jogo será em casa e poderá  contar com a torcida alvinegra que apóia o time e comparece em massa nos jogos. Marcos Rocha com a sua garra, raça e vontade de vencer, mostrou que tudo é possível, e o Santa-Fé nunca havia perdido para um time brasileiro, o que tornou o jogo mais difícil e cheio de superações.  #Mídia

Em um jogo tão competitivo, o psicológico do jogador vem a tona e em certos momentos é difícil segurar a emoção pois é tanta luta, esforços e os confrontos são diretos e em cada jogo é preciso matar um leão e mostrar um bom desempenho e preparo físico. No caso do lateral a lesão e o trabalho para ultrapassar os próprios limites físicos mexeram com o seu íntimo, mas no final tudo deu certo e os bons ventos sopraram a favor do Atlético. E foi uma merecida vitória, que faz o time se manter ativo na competição e com raça para vencer novos desafios.