Logo após a derrota para o Vasco, na primeira partida da final do Campeonato Carioca, René Simões (treinador do #Botafogo) cravou: só Renan viajaria para Capivari. O restante do grupo seria formado por jogadores reservas e alguns atletas do sub-20, como Vinicius Tanque, artilheiro alvinegro no carioca da categoria.

No entanto, a partida contra o Capivariano - válida pela segunda fase da Copa do Brasil - valerá mais do que três pontos ou a classificação direta, em caso de vitória por mais de dois gols de diferença. Será a chance de provar que o planejamento e as escolhas feitas pela comissão técnica no início de temporada foram acertadas.

Publicidade
Publicidade

Atualmente, os elogios ao time do Botafogo pelas vitórias conquistadas à base de muita garra e determinação vem acompanhadas da incerteza se o clube conseguiu formar um elenco para competições mais longas como o Brasileirão da Série B (principal objetivo da temporada).

Parece ser este o maior desafio da noite. Afinal, o Capivariano escapou do rebaixamento no estadual paulista na última rodada e a maior parte da equipe foi desfeita. Ou seja, o alvinegro carioca tem pela frente uma equipe ainda em formação, que busca "juntar os cacos" de um início de temporada nada promissor.

Portanto, uma vitória hoje representará ganhar reforços para o restante do ano, da mesma forma que uma derrota pode ser um sinal de que alguns jogadores não façam parte dos planos de René, sendo emprestados a outros clubes para "ganhar experiência".

Publicidade

Aqueles que acreditam em uma partida sem pressão ou extremamente fácil, terão uma surpresa. Quem entrar em campo hoje estará tão pressionado quanto os jogadores que fizeram a primeira partida do time este ano, após um catastrófico rebaixamento em 2014.

No pior dos cenários, que nenhum alvinegro deseja pensar, René terá a certeza de que o trabalho para o decorrer do ano será mais árduo do que ele havia pensado anteriormente. Serão necessários ajustes a fim de garantir que o maior objetivo (voltar à primeira divisão) não fique apenas na vontade, e se possível não seja tão sofrido quanto foi com o Vasco da Gama no ano passado. #Futebol #Resenha Esportiva