A Polícia Militar do Estado de São Paulo deverá ter muito trabalho no próximo domingo (12). Está marcada para essa data uma nova manifestação contra a presidente Dilma Rousseff que imagina-se irá levar milhares de pessoas as ruas, principalmente em São Paulo. Para completar o trabalho da PM, as semifinais do Campeonato Paulista estão marcadas para esse fim de semana. Com Corinthians, Palmeiras e São Paulos garantidos nas disputadas, datas e horários alternativos terão que ser adotados.

Para não coincidir com o horário da manifestação - que ocorrerá na tarde de domingo - a Polícia Militar sugeriu que as partidas do Trio de Ferro ocorram em três dias distintos: sábado no período da tarde, domingo pela manhã e segunda-feira à noite.

Publicidade
Publicidade

A PM alega que não pode garantir a segurança de dois jogos de torcidas rivais no mesmo dia, e tampouco de uma partida decisiva e uma manifestação que, segundo a própria PM, levou 1 milhão de pessoas da última vez.

A Federação Paulista de #Futebol vê com bons olhos a proposta da Polícia Militar. Na manifestação do dia 15 de março o Palmeiras já foi obrigado a atuar às 11h da manhã, por exemplo. O jogo de segunda-feira é que potencialmente pode causar um certo constrangimento à FPR. Como São Paulo e #Corinthians irão atuar pela Libertadores quarta-feira (15) e quinta-feira (16), respectivamente, o Palmeiras que deveria jogar na segunda. Porém, o clube do Palestra Itália já se manifestou de forma negativa a realocação de seu jogo.

O Santos não terá nenhum problema com relação ao seu jogo.

Publicidade

Por não haver nenhuma manifestação grandiosa marcada na Cidade, a equipe da baixada deverá jogar em alguns dos horários tradicionais da grade de televisão.

Regulamento 

O regulamento geral da Competição dizia que o pior colocado entre os três clubes da Capital deveria jogar fora de seus domínios para evitar justamente o choque entre datas e horários. Porém, a Federação Paulista já informou que esse item do documento será ignorado e todos poderão jogar em seus estádios.