O técnico de #Futebol do #Flamengo, Vanderlei Luxemburgo, em entrevista coletiva, fez um protesto colocando um esparadrapo na boca, em sinal de repúdio a sua condenação pelo STJD. Ele ficará fora do clássico contra o Fluminense neste domingo (5) pelo campeonato carioca. Luxa disse, em entrevista, "que os jornalistas devia descer a porrada na FERJ", órgão que cuida do futebol no Rio de Janeiro.

Este ano, a FERJ deixou claro, desde o começo, que não aceitaria críticas de nenhum jogador, dirigente ou representante da comissão técnica, de qualquer clube do estadual. Vanderlei falou sobre o seu direito de expressar sua #Opinião, direito que, segundo ele: "é garantido pela constituição brasileira."

O futebol brasileiro vem atravessando um momento difícil, dentro e fora dos gramados.

Publicidade
Publicidade

A safra de jogadores não é das melhores, e fora de campo os dirigentes não ajudam. Tentar amordaçar os profissionais, para que eles não denunciem o descaso com que o nosso futebol vem sendo tratado tem sido a única arma das federações e da CBF. Punir um profissional porque ele disse que a imprensa tem de denunciar os mandos e desmandos dos dirigentes do futebol é uma prova de que o nosso futebol está "ligado aos aparelhos".

A federação de futebol do estado do Rio de janeiro (FERJ) deveria estar preocupada com a bagunça que está o Campeonato Carioca. O torcedor é que no final acaba pagando as contas de tudo. Enquanto tivermos dirigentes sem preparo, com esta mentalidade de cartola, o futebol brasileiro irá de mal à pior. E aí, bom, que Deus nos ajude a não termos que encarar a Alemanha outra vez, pois, o resultado, todos nós já sabemos.

Publicidade

Que nossos jogadores e técnicos não se deixem intimidar por um reinado de terror que querem impor ao mundo do futebol. Que todos os profissionais da bola se unam e lutem por seus direitos, por liberdade e por um futebol decente, onde o espetáculo seja a bola que rola nos gramados. Afinal de contas, o nosso povo é apaixonado por este tal de futebol e merece ser respeitado.