Nascido em Skofja Loka, em 7 de janeiro de 1993, o jovem esloveno Jan Oblak já percorreu o mundo do #Futebol buscando oportunidades até encontrar a maior delas nesta terça-feira (14), em um Vicente Calderón lotado, sob a alça de mira do badalado trio BBC - Benzema, Bale e Cristiano Ronaldo, responsáveis pela linha de frente dos atuais campeões da Champions League.

Mais do que isso: Oblak pisava no gramado com a missão de parar o Real envolto pela nuvem escura da sombra do belga Thibaut Courtois, outro jovem arqueiro que se destacou ao fazer defesas milagrosas durante toda a temporada passada pelo Atlético. Courtois retornou ao Chelsea no início da temporada.

Publicidade
Publicidade

E, por ontem, Oblak não deixou que nenhum colchonero sentisse saudade.

Se na partida de ontem Oblak notabilizou-se como herói, até chegar a ela muitas andanças pelo futebol português marcaram a carreira do goleiro de 1,86m. Profissionalmente, iniciou no esloveno NK Olimpija Ljubljana em 2009. Um ano depois, aos 17, Oblak desembarcava em Portugal para iniciar sua trajetória no Benfica, que de imediato avaliou que era preciso dar a ele mais experiência. Para isso, emprestou o arqueiro a clubes menores da liga. De 2010 a 2013, ele não teve vida fácil, perambulando por clubes como Beira-Mar, Olhanense, União de Leiria e Rio Ave.

Mais maduro na volta ao Benfica, Jan Oblak, enfim, teve a chance de ser titular na segunda metade da liga nacional na temporada 2013/2014. Além de ajudar os Águias a faturar o título, levou o prêmio de melhor goleiro do campeonato.

Publicidade

As boas atuações começaram a despertar o interesse de clubes maiores da #Europa. Ciente de que perderia Courtois, com passe vinculado ao Chelsea e apenas por empréstimo na Espanha, o Atlético de Madrid precisava dar um tiro. E foi certeiro.

Ao saber do interesse do time de Diego Simeone, Oblak foi direto. "A decisão de ir jogar no Atlético de Madrid foi absolutamente minha. Desde pequeno, o meu sonho sempre foi jogar na liga espanhola, que é mais forte que a portuguesa. É um novo desafio na minha carreira", destacou na época. Por 16 milhões de euros, em uma das transferências por goleiros mais caras da história, o Atlético de Madrid firmava em julho de 2014 a contratação de Oblak.

E numa terça-feira nem tão distante, de quartas de final de Champions League, diante de um poderoso Real Madrid, poderia dizer que valeu cada centavo.