Após dezoito anos, Botafogo e Vasco da Gama voltaram a decidir o título do Campeonato Carioca. O longo período sem confrontos decisivos entre os dois clubes fez com que a primeira partida da final do campeonato fosse recheada de lances emocionantes no Maracanã. Do primeiro ao último minuto. Melhor para o time da Cruz de Malta que buscou o resultado até o fim e foi premiado com um gol de Rafael Silva no último minuto do jogo.

Agora, a equipe do técnico Doriva joga por um empate para conquistar seu vigésimo terceiro campeonato estadual. Título muito esperado pelos vascaínos, que não comemoram um Carioca desde 2003.

Já o alvinegro de General Severiano precisa vencer por dois gols de diferença para levar seu quarto campeonato estadual em dez anos.

Publicidade
Publicidade

Vigésimo primeiro de sua história. Caso vença por um gol de vantagem, a partida vai para a disputa de pênaltis.

Quem não faz leva

Por ter sido campeã da Taça Guanabara, a equipe de René Simões tinha a vantagem de empatar as duas partidas finais para ficar com o título, no entanto, seus comandados foram em busca do gol logo nos primeiros segundos. Aos 15, para ser mais exato, o atacante Bill cabeceou uma bola na trave, que ainda contou com o desvio providencial do goleiro vascaíno Martin Silva. Porém, a impressão dos primeiros segundos não se concretizou no resto do primeiro tempo. Após o susto, o Vasco controlou a posse de bola - chegou a ter 70% -, dominou o meio de campo e não ofereceu mais chances de ataque para o Botafogo. É bem verdade que o time de São Januário também não conseguiu criar muitas oportunidades de gol.

Publicidade

A única que teve contou com a falha do zagueiro Diego Giaretta, mas Julio dos Santos tocou por cima do gol de Renan.

No segundo tempo, o time da Estrela Solitária teve as melhores chances para abrir o placar. Aos oito minutos, Bill recebeu cara a cara com Martin Silva e deu uma cavadinha para encobrir o goleiro. A bola foi caprichosamente para fora. O gol perdido faria falta. O camisa 9 alvinegro já passara por essa situação na primeira partida da semifinal contra o Fluminense. Depois, já aos 40, William Arão mandou uma bola travessão vascaíno. O jogo já se encaminhava para terminar em 0 a 0 até que Marcelo Mattos cometeu uma falta na intermediária de defesa e ofereceu ao Vasco uma última oportunidade de gol em sua jogada favorita: a bola parada. Bernardo cobrou, a bola passou por toda a defesa botafoguense, que ficou apenas olhando, e foi ao encontro de Rafael Silva. O atacante, sozinho, só teve o trabalho de escorar e sair para os braços da sua imensa torcida bem feliz.

Vôlei: Título e despedida

O domingo não foi só de festa para os vascaínos, os amantes do vôlei e torcedores do Rexona/Rio também ficaram felizes pelo título da Superliga conquistado em cima do Molico/Osasco após vitória por 3 sets a 0, na Arena da Barra.

Publicidade

O título ficou marcado pela despedida das quadras da levantadora Fofão, uma das melhores jogadoras da história do vôlei brasileiro. Foi o décimo campeonato do Rio e o quinto da ex-jogadora. #Resenha Esportiva