O torcedor rubro-negro não comemora um título da Libertadores da América, a competição mais importante do continente, há mais de trinta anos. Consequentemente, não ganha um mundial desde a mesma época.

Conhecido pelos torcedores como: " O melhor time do mundo", o #Flamengo, time de maior torcida do Rio de Janeiro, sente saudades dos tempos áureos. Quando era regido por Zico, Júnior, Nunes, Andrade e companhia.  

Os apaixonados torcedores se contentam com as conquistas nacionais. Mesmo com um dos maiores orçamentos do #Futebol brasileiro, o clube da Gávea não consegue emplacar grandes conquistas ou se manter bem por mais de uma temporada.

Publicidade
Publicidade

Conhecido pelas especulações milionárias, o Mengão, muitas vezes contrata uma só "peça" e esquece do restante do time. Foi assim quando trouxe Ronaldinho Gaúcho. Isolado no plantel, o craque pouco produziu, transferindo-se rapidamente para o Atlético-MG. O Flamengo parece insistir na fórmula errada. A "bola da vez" é o peruano Paolo Guerreiro, vindo do Corinthians, após não acertar valores para um novo contrato.  

Com a quantidade de bons e caros jogadores que o Flamengo contrata, como explicar a falta de êxito e continuidade no trabalho? Luxemburgo tirou o time da zona de rebaixamento em um campeonato brasileiro e no início do outro é demitido. Algo errado parece ocorrer na administração do clube, que ultimamente deixa suas glórias para a equipe de basquete.

Libertadores da América e Flamengo, nos últimos 30 anos, são palavras contrárias.

Publicidade

Paolo Guerreiro, campeão da Libertadores e do Mundial pelo Corinthians e Armeiro que deixou o Milan para desembarcar na Gávea, são as novas apostas do carente rubro-negro para  a temporada. 

Os torcedores da geração "Y" só conhecem a história, mas nunca viram seu time ser campeão da América. Cada ano uma nova esperança. E, frequentemente, uma nova decepção. Desde o título brasileiro de 2009, o Flamengo não monta um time forte e com bons jogadores. Nem mesmo o time campeão da Copa do Brasil de 2013 era forte, se muito, competitivo.

Para quem tinha Zico como camisa 10, hoje, o Flamengo não conta com um meia da mesma posição. E quando tinha o goleador Nunes, hoje deve se contentar com o  envelhecido e lento Alecsandro. Só resta ao flamenguista torcer muito. #Resenha Esportiva