A princípio a #Educação física, quando inserida no currículo escolar, era tida como uma disciplina para o conhecimento do corpo, que segundo o ministério da educação é dividida em três partes,  o primeiro é : jogos, ginásticas, esportes e lutas. O segundo atividades rítmicas e expressivas e o terceiro: conhecimentos sobre o corpo.



Para a mestrada em Educação Física Fernanda Resende os esportes sejam eles convencionais ou não, ou qualquer outro tipo de atividade física são de suma importância para o bem estar pessoal. “Desde que seja praticado de forma correta, orientado por um profissional da área e respeitando as limitações do individuo” afirma.



No entanto,o ensino da educação física obrigatório durante o ensino fundamental e médio, em sua maioria é visto por alguns centros educacionais  como uma matéria complementar. E não como uma atividade que agrupa benefícios.



Gabriela de Paula, 16, estudante do ensino médio na #Escola Estadual Professor Basílio de Magalhães no município de Nazareno, relata  sobre a realidade de ensino da educação física na sua escola “ O esporte sempre foi muito importante pra mim. Joguei vôlei por 3 anos e meio. Sempre gostei muito, mas isso foi quando morava em outra cidade. Aqui em Nazareno não temos muitas atividades esportivas, falta material, falta didática nas aulas, ficamos muitas vezes sem fazer nada em um momento que deriva ser produtivo.”



O professor Euclides Couto, graduado em Educação Física e História, aborda que na década de 90, valorizava-se o ensino de técnicas, táticas de jogo e fundamentos dos esportes com vistas ao rendimento e competitividade. Atualmente algumas escolas já adotam métodos mais eficazes e lúdicos de aprendizado como a Escola Estadual Doutor Garcia de Lima, de São João del-Rei, onde são divididos dois conteúdos por bimestre que de vão de atividades como queimada e badminton até vôlei e xadrez. Apesar de tanto incentivo em relação as atividades esportivas nas escolas muitos alunos ainda não estão totalmente adaptados a prática aplicada.

 Jéssica Cristina, Heloísa Ferreira, Michele Carvalho #Futebol