Com gols de Nilmar e Valdívia, ótima atuação no primeiro tempo e certa tensão no final, o Inter venceu o Grêmio por 2x1 neste domingo, garantiu o título gaúcho de 2015 e levou o pentacampeonato estadual. Sobre números, Diego Aguirre quebrou um tabu de 65 anos sem que um treinador estrangeiro erguesse uma taça pelo Inter. No Beira-Rio, a festa repetia-se pela quinta vez nos últimos cinco anos. Ano a ano, relembre as conquistas coloradas.

2011

O primeiro título veio com uma dose extra de dramaticidade. Comandado por Enderson Moreira, o time B fracassou ao perder para o Cruzeiro nas quartas da primeira fase, o que abreviou o retorno dos titulares à disputa do regional.

Publicidade
Publicidade

Sem Roth, demitido, e com Falcão, o time teve de buscar o título do segundo turno com um triunfo nos pênaltis contra o Grêmio no Beira-Rio. Na finalíssima, novo Grenal. Após ser derrotado por 3x2 em casa e sair perdendo por 1x0 no jogo decisivo no Olímpico, Falcão colocou em campo o meia Zé Roberto, que mudou a história do clássico: a virada em 3x1 só não virou título porque Renan falhou e permitiu que o Grêmio empatasse e forçasse outra disputa de penalidades. Novamente, vitória colorada. Nos pênaltis e no sufoco.

2012

Com a dupla Grenal eliminada no primeiro turno, Novo Hamburgo e Caxias decidiram quem teria vaga assegurada na decisão. No duelo dos pequenos, melhor para o Caxias, que na final encontrou o Inter - garantido na disputa após vencer o Grêmio no Beira-Rio na semi do segundo turno com gols de Dátolo e Fabrício.

Publicidade

No Centenário, um empate em 1x1 adiou em uma semana a definição do campeão. Eliminado pelo Fluminense na Libertadores no meio da semana, o Inter pisava em campo no domingo disposto a conquistar o bicampeonato regional e fazer as pazes com a torcida. Só que no fim do primeiro tempo, o Caxias aproveitou uma cobrança de escanteio para abrir o placar. Do banco, D´Alessandro saiu para mudar o jogo. Primeiro, Sandro Silva fez fila e disparou um foguete para as redes. No final, Leandro Damião aparou de cabeça um cruzamento de Fabrício e garantiu o bi ao time do então treinador Dorival Júnior.

2013

A mais tranquila das cinco conquistas só teve ares de emoção no último jogo da competição, que nem chegava a ser a grande final, já que Inter e Juventude se encontravam no Centenário, em Caxias, apenas para decidir quem levaria o segundo turno. Como o Inter, de Dunga, já havia vencido o primeiro, uma nova vitória já o garantiria como o grande campeão estadual de 2013. No tempo normal, poucas chances de gol.

Publicidade

O Juventude chegou a assustar quando fez um gol anulado pelo então árbitro Márcio Chagas em um escanteio. Nas penalidades, o Inter contou com a estrela de Muriel para levar sua terceira taça seguida.

2014

No ano em que time e torcida reencontraram-se com o Beira-Rio, o Inter de Abel Braga nem precisou jogar no seu estádio para aplicar 4x1 no rival na decisão do título. Em uma campanha sem sustos, o Inter encontrava o Grêmio novamente em Caxias, no Centenário, para definir o campeão. Com a vantagem de 2x1 obtida no jogo de ida na Arena, a tendência era que o Grêmio se lançasse ao ataque. Mas não conseguiu. Em uma de suas melhores atuações nos últimos anos, o Inter patrolou o rival por 4x1 e colocou no armário o quarto troféu consecutivo.

2015

O penta foi construído aos poucos. Criticado no início da temporada, Diego Aguirre demorou a conquistar a confiança de imprensa e torcida, que desconfiavam do método de trabalho onde todos jogam e ninguém é titular absoluto. Aguirre deu espaço a jovens como William, Dourado e Valdívia, que deram vitalidade a um time cada vez mais veloz com o passar dos jogos. O ápice foi no primeiro tempo do Grenal nesse domingo: a intensidade foi tanta que os 2x0 ficaram baratos para o Grêmio que, por obra do destino, achou um gol antes do intervalo. No segundo tempo, a pressão sofrida não foi suficiente para tirar a taça das mãos de quem mais a mereceu. #Entretenimento #Futebol #Sport Club Internacional