É um barco ou uma bicicleta? Para o iraniano naturalizado holandês, Ebrahim Hemmatnia, a pequena embarcação de 6 metros de comprimento que ele projetou para dar a volta ao mundo pode ser também uma bicicleta, ou melhor, um quadriciclo. Pedalando no seu “boatbiker”, esse aventureiro, que sonha um dia viver num mundo sem fronteiras, planejou uma #Viagem de 4 anos, em que percorreria 35.000 km na água e 15.000 km em terra. A última parada no Brasil foi na cidade de Itararé, em Espírito Santo.

Ebrahim é engenheiro especialista em sistemas de informação geográfica e um belo dia resolveu vender os seus principais bens, inclusive a sua casa, para embarcar nessa estranha aventura de viajar sozinho pelo mundo num “barco-bicicleta”.

Publicidade
Publicidade

O ponto de partida foi Dakar, no Senegal, onde começou por cruzar o Atlântico, no dia 23 de novembro de 2014, em direção a Santa Maria, na Colômbia. De lá, ele seguiria por terra até Lima, no Peru, e entraria no mar de novo, desta vez no Oceano Pacífico, com destino ao Taiti e outros pontos do globo. Contudo, algo saiu do seu controle.

No dia 29 de janeiro, após um pedido de socorro via rádio, ele foi localizado por uma aeronave da Força Aérea Brasileira a mil quilômetros da costa norte de Natal, no Rio Grande do Norte, sendo depois resgatado por um Navio-Patrulha da Marinha do Brasil. O seu barco tinha sofrido um ataque de tubarões e estava à deriva com o leme e a hélice danificados.

Assim, de forma inesperada, o Brasil entrou no seu roteiro de viagem e, pelas manifestações de felicidade que se pode visualizar no seu Facebook, o acidente com os tubarões acabou se transformando num feliz acontecimento.

Publicidade

Agora na pele de ciclista, em todos os cantos por onde vem pedalando o seu “brinquedo”, ele recebe o imenso carinho dos brasileiros. Nesses três meses desde que chegou ao nordeste do Brasil, já concedeu inúmeras entrevistas para canais de televisão e não se cansa de dar palestras em universidades e colégios.

O seu novo itinerário de viagem mantém a cidade de Lima como um dos destinos, mas inclui uma passagem pelo Rio de Janeiro antes de sair do território nacional, sempre por terra. Enquanto não chega à cidade maravilhosa, vai conhecendo outros lugares interessantes. Em Espirito Santo, visitou a Escola Municipal de Ensino Fundamental Ceciliano Abel de Almeida, na cidade de Itararé, e conversou animadamente com os alunos sobre todos os pormenores que envolvem tamanha aventura. Ninguém ficou indiferente às histórias que Hemmatnia tinha para contar. Antes de se despedir, ele encorajou os ouvintes a não desistir dos seus sonhos, mesmo que pareça loucura aos olhos do mundo. #Inovação