O presidente do #Corinthians, Roberto de Andrade, em uma entrevista coletiva disse que não renovará com Paolo Guerrero. Esse pode ser o capítulo final da novela "Guerrero sai ou fica".Além da confirmação da saída de Emerson Sheik, falou do atacante peruano em tom de despedida. Admitiu que todo este tempo estava conversando com seu representante, mas que não há como pagar o que estão pedindo. Guerreiro está com 31 anos e este pode ser o último grande contrato da carreira, por isso o Timão abriu mão da sua renovação, entendendo o lado do atleta.

Roberto de Andrade relatou que não irá fazer loucuras e prejudica o clube futuramente "chega de contratar, prometer e não cumprir".

Publicidade
Publicidade

E continuou falando que não pode assumir um gasto como esse enquanto o clube não acertar as finanças com outros atletas. Há vontade de todos na renovação, mas não há dinheiro por parte do clube alvinegro para saldar o compromisso, "para o Corinthians é exagerado, mas para o #Futebol dele não é" completou o Presidente sobre o valor pedido por Paolo Guerrero.

O atleta vinha pedindo R$ 18 milhões de luvas para renovar com salário de R$ 500 mil por mês. O clube alvinegro chegou a oferecer R$ 13 milhões no fim do ano passado, mas não houve acordo. Segundo o Presidente do clube alvinegro, todos esses meses havia conversas com o representante do atleta, mas não chegaram ao um acordo e Guerrero deve mesmo sair.

Outros tópicos da entrevista

Está confirmado que Emerson Sheik vai mesmo sair, o presidente disse que conversou com a comissão técnica e com o próprio atleta e tomou a decisão de não renovar.

Publicidade

Sheik tem contrato até julho com o clube. O presidente deixou seus agradecimentos ao atleta, que foi importante em vários momentos do time, mas que atualmente não tem rendido como antes e se soma a isso as polêmicas extracampo que volta e meia surge do atleta.

Outro assunto abordado foi a saída do diretor de futebol Sergio Janikian. O ex-diretor de futebol do Timão relatou não estar à vontade para a função e pediu para sair. Sergio se envolveu em algumas polêmicas desde que assumiu o cargo, logo quando chegou, admitiu que Sheik havia chegado atrasado em alguns treinos, se arrependeu e em seguida negou. Instantes antes do jogo com o Guarani do Paraguai, relatou em entrevista que enfrentar o time era um "presente de Deus", o Corinthians perdeu as duas partidas. De uma forma amistosa ele saiu do cargo. #Entretenimento