Poderia ter sido apenas mais um típico sábado frio de junho na capital dos gaúchos. Poderia. Aos poucos, a fatídica notícia ganhava as ruas de Porto Alegre e gerava uma incredulidade que até hoje perdura no íntimo de uma nação apaixonada que, em um piscar de olhos, via-se obrigada a se despedir de seu maior ídolo. Por volta de 1h30 da madrugada de 7 de junho de 2014, o helicóptero Helibrás HB-350BA Esquilo, prefixo PT-YJJ caia em Aruanã, interior de Goiás, matando os cinco ocupantes da aeronave. Dentre eles, Fernando Lúcio da Costa, o Fernandão.

O ex-jogador havia ido com uma turma de amigos a um acampamento realizado à beira de uma das praias do rio Araguaia, um dos cartões-postais de Goiás.

Publicidade
Publicidade

Diversão, passeio de lancha, carteado e pescaria. Era o último final de semana de folga de Fernandão, que uma semana depois passaria a integrar o time de comentaristas do canal SporTV na ampla cobertura da Copa do Mundo de 2014.

Ao perder sustentação logo após levantar voo, o helicóptero caiu e se partiu em dois a 200 metros do acampamento. Edmilson de Souza Leme, Antônio de Pádua, Lindomar Mendes Vieira e Milton Ananias morreram na hora. Fernando Lúcio da Costa, tal qual o jogador bravo e determinado até o último minuto dos jogos que era, foi o único a ser encontrado com vida pelo resgate, conforme relato do sargento do Corpo de Bombeiros de Aruanã, Cristiano Oliveira.

“A aeronave veio ao solo em uma das praias do Araguaia. É um local de difícil acesso, onde só se chega por barco ou helicóptero.

Publicidade

Ao encontrarmos as vítimas, notamos que apenas o Fernandão possuía sinais vitais, mas já respirava mal devido às inúmeras fraturas. Desobstruimos sua respiração e o levamos ao hospital. Infelizmente, ele chegou lá já sem vida”, relatou, emocionado, Oliveira.

Na despedida, muita comoção. Cerca de 15 mil pessoas compareceram ao ginásio do Goiás para participarem do velório de Fernandão. Além de parentes, políticos e fãs, ex-companheiros dos gramados fizeram questão de prestar uma última homenagem. O meia Alex, do Inter, companheiro do título mundial em 2006, relutou em se aproximar do caixão. Fernando Carvalho, Giovanni Luigi, Clemer, Iarley e o cantor sertanejo Leonardo estiveram presentes. Aos 36 anos, Fernando Lúcio da Costa deixava a esposa Fernanda Bizotto, os filhos Thayná, Enzo e Eloá, e uma torcida eternamente grata. #Sport Club Internacional