Ainda que esteja em plena atividade no #Futebol profissional, inclusive próximo de disputar sua primeira semi-final de Libertadores, Nilmar pegou a prancheta, moveu as peças no campinho e, tal qual um legítimo treinador, escalou a seleção que considera a dos sonhos entre os seus companheiros em mais de dez anos de carreira. Em entrevista à Revista Placar, o jogador do Inter escalou os onze em um tradicional 4-4-2.

Apesar de ser atacante, Nilmar optou pelo equilíbrio ao montar a equipe. No gol, quem ganhou o lugar foi um ex-companheiro dos tempos de Villarreal, da Espanha, Diego López. Na direita, quem farda é Maicon, companheiro de seleção brasileira na Copa do Mundo da África do Sul, em 2010.

Publicidade
Publicidade

Para formar o miolo da zaga, um mimo no atual clube: Juan e Índio.

“Sou suspeito para falar do Juan. Sempre fui muito fã do futebol dele. O posicionamento que ele tem em campo é perfeito. E o Índio é um grande parceiro que eu fiz no Inter. Ele tem mais força e é mais vigor físico que o Juan”, opinou o atacante, antes de escalar o lateral esquerdo espanhol Capdevilla para fechar a linha de quatro atrás.

Para abrir o meio campo, um ex-companheiro de Corinthians dos tempos de MSI. Embora atue como zagueiro no Barcelona há três anos, Mascherano vai como primeiro volante de Nilmar. Ao seu lado, toda classe e qualidade técnica de Juninho Pernambucano. Segundo o atacante colorado, a bola parada é o diferencial: “nunca joguei com alguém que batesse tão bem na bola como ele”.

No setor de criação, outro parceiro dos tempos de seleção brasileira: Kaká.

Publicidade

Ao lado, um “fenômeno”. “O Cazorla é um fenômeno. Juro que até hoje não sei qual é a perna preferida dele. Um jogador super diferenciado”, derrete-se Nilmar sobre o meia espanhol ex-colega no Villarreal.

Fechando o time, o ataque tem o velho duelo entre brasileiros e argentinos. De um lado, Robinho, do outro, Tevez. “Foi o meu melhor parceiro de ataque. Nosso entrosamento era incrível. Costumava brincar dizendo que ele era um centroavante de coração valente”, brinca o “treinador” Nilmar.

Escalação: Diego López; Maicon, Juan, Índio, Capdevilla; Mascherano, Juninho Pernambucano, Kaká, Cazorla; Robinho e Tevez. Técnico: Nilmar. #Entretenimento #Sport Club Internacional