Rafael Nadal já está absolutamente focado na disputa do torneio de Wimbledon, que começa no final do mês de junho, mas a derrota para Novak Djokovic nas quartas de final de Roland Garros e a consequente perda de um dos maiores reinados da história do #Tênis ainda ecoa aos quatro cantos do circuito da ATP.  Em 2015, o sérvio impôs a segunda derrota da carreira de Nadal no saibro do Grand Slam francês. Antes dele, apenas o sueco Robin Soderling, em 2009, havia conseguido tal feito.

Ex-tenista profissional brasileiro, número 50 do mundo em julho de 2005, e atual comentarista de tênis, Ricardo Mello admite que não se surpreendeu com a perda da hegemonia de Rafa em Paris.

Publicidade
Publicidade

Em entrevista exclusiva à Blasting News Brasil, Mello elogiou o campeão Stan Wawrinka, falou sobre Djokovic e não descartou um novo título de Nadal em Roland Garros. Confira:

Blasting News Brasil: Você esperava essa quebra na hegemonia de Nadal em Paris esse ano ou ainda acreditava na tradição dele?

Ricardo Mello: Esperava sim, até porque Nadal não vinha bem nos torneios preparatórios para Roland Garros. A expectativa era se ele reencontraria o seu melhor tênis, porque você chegar em um torneio que venceu nove vezes em dez disputadas traz boas lembranças e ajuda bastante.

BN: Ficou surpreso com a facilidade que Djokovic bateu Nadal nas quartas?

RM: Não fiquei surpreso. O Djokovic já havia vencido o Nadal no saibro com certa facilidade e autoridade, mas estava faltando vencê-lo dessa forma em Roland Garros.

Publicidade

BN: Onde você acha que Djokovic pecou na final para perder o título para Stan Wawrinka?

RM: Acredito que ele pecou principalmente por ter jogado de uma forma passiva a final, sem buscar o jogo em momento algum. O Wawrinka jogou para vencer o torneio. O Djokovic jogou a final para não perder.

BN: Depois desse ano, Nadal ainda terá forças para buscar um novo título em Roland Garros?

RM: Olha, eu acredito que sim. Nadal é um jogador extremamente respeitado e é, sem dúvidas, o melhor jogador de saibro em todos os tempos. Ainda tem alguns anos de carreira pela frente e com certeza vai fazer de tudo para buscar o seu décimo título em Roland Garros. #Entretenimento #Europa