Poucos dias depois de ser eleito para um quinto mandado como presidente da Fifa, Joseph Blatter renunciou ao cargo nesta terça-feira (2). No discurso do anúncio, ele chegou a pedir que uma nova eleição seja realizada. A decisão de Blatter em deixar a entidade ocorre em meio a uma série de denúncias de #Corrupção, que resultou na prisão de dirigentes do primeiro escalão da Fifa às vésperas do pleito.

“Muito embora os membros da Fifa tenham me reeleito presidente da entidade, sinto que não pareço estar sendo apoiado pelo mundo do #Futebol. É justamente por isso que convocarei um congresso extraordinário e vou colocar meu cargo à disposição.

Publicidade
Publicidade

Um novo presidente deverá me suceder. Vou continuar nessa função até que outro seja escolhido”, destacou Blatter, em pronunciamento oficial na inesperada entrevista coletiva.

“Sepp” Blatter, como era conhecido, estava na presidência do principal grupo que coordena o futebol mundial desde 1998, tendo vencido as eleições para um quinto mandato na última sexta-feira, em um congresso da Fifa em Zurique, na Suíça. Blatter havia vencido o pleito sem ter alcançado ampla vantagem, já que somou 133 votos contra 73 do príncipe jordano Ali bin al Hussein.

Extraoficialmente, cogita-se que as novas eleições serão realizadas entre dezembro deste ano e março de 2016. Blatter afirma que respeitará os regimentos da entidade, mas que tentará criar novos mecanismos internos para abafar aquela que é “a pior crise da história da entidade”.

Publicidade

“Vou continuar exercendo até um próximo ser eleito. Um novo congresso demoraria demais. E o procedimento se dará totalmente de acordo com o estatuto. É preciso tempo para que novos candidatos demonstrem interesse e possam montar suas candidaturas. Agora me focarei em implementar protocolos de transparência para seguir o resto de mandato”, continuou Blatter.

Dentre os dirigentes da Fifa presos na Suíça na semana passada estava o brasileiro, ex-presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), José Maria Marin, suspeito de participar de um grandioso esquema de corrupção. O Departamento de Justiça dos Estados Unidos, que tem centralizado as investigações, informa que a situação de Blatter também está sendo averiguada, mas que por enquanto não há indícios. De qualquer forma, trata-se do fim de uma era.