O placar de 3 sets a 0 diz tudo. A sequência da pontuação também. O Brasil sobrou na quadra. O jogo foi pela Liga Mundial. Agora o Brasil segue para a próxima etapa em Cuiabá para, então, iniciar a disputa da fase final, a ser realizada no Rio de Janeiro. Como sede o país já está classificado. Rubinho substituiu o técnico suspenso e, apesar de não contar com Murilo e Serginho, a vitória foi fácil.

Quem sabe tudo isto não foi para compensar o que faltou em campo. O futebol, mais uma vez, se não deu vexame, mostrou que algo vai mal no reino do esporte. Ele foi trazido para o Brasil por Charles Miller. Parece estar se tornando menos belo, pelas mãos de um técnico pouco simpático e talvez não tão eficiente como julgavam os diretores da CBF - Confederação Brasileira de Futebol.

Publicidade
Publicidade

Ela também está sob suspeita. A turma na Copa América sussurrava: "você viu o Del Nero por aí. E quem ouvia respondia: eu não vi não". A situação do esvaziamento das salas se alguém no recinto gritar "pega ladrão" assusta todo mundo.

Voltemos às quadras de vôlei, onde a ausência de Bernardinho foi notada. Este não é apenas o que a propaganda fala. O homem faz acontecer. Mas falta pouco para sua suspensão terminar e ele voltar a roer as unhas, estalar as juntas dos dedos da mão; morder a ponta da camiseta, mas dar para o Brasil mais um título. 

A torcida carioca já se prepara para um grande mundial. Se os jogos fossem hoje, estariam classificados Brasil, Itália, Sérvia, Polônia e Estados Unidos, faltando uma vaga a ser disputada por quatro outros países (Canadá, França, Bélgica e Bulgária).

Publicidade

As seis equipes classificadas devem dar um grande espetáculo. Espera-se que o Brasil não leve nenhum capote (sets nos quais um time não faz nenhum ponto) e siga o exemplo da seleção de futebol, que frustrou muitas expectativas. Pela pena de ter que aguentar a barra por mais quase quatro anos, até que seria merecido um novo título.

Mas os especialistas (meio desacreditados na atualidade depois de considerarem a copa América como quase ganha, em uma final gloriosa contra "los hermanos". Sonhar, mais um sonho impossível todo mundo pode) consideram que para o vôlei, este título "está no papo". É exatamente aí que mora o perigo. Mas desejamos para os meninos de ouro do vôlei brasileiro se for o Galvão ufanista que narrar os jogos, a melhor sorte possível. #Resenha Esportiva