A Lagoa Rodrigo de Freitas, um dos cartões-postais da capital do Rio de Janeiro, será o local principal das provas de remo e canoagem nas Olimpíadas de 2016. No entanto, um projeto de despoluição, que a população desejava que tivesse acontecido muito antes de terem escolhido o Rio como cidade-olímpica, só agora está sendo debatido pelos órgãos competentes. O projeto visa fazer com que a Lagoa tenha as melhores condições possíveis para o uso esportivo.

A poluição poderá prejudicar muito as competições, não sendo possível despoluí-la num espaço de tempo tão curto. Segundo o Biólogo Mário Moscatelli, " a Lagoa está situada numa área urbana, na qual as regras geralmente não são seguidas e/ou respeitadas, ela sempre será vulnerável, e também tem o problema de sua constituição natural ser frágil.".

Publicidade
Publicidade

Fazendo uma comparação da Lagoa Rodrigo de Freitas do início do século até os dias de hoje, o Dr. Moscatelli afirma que atualmente a situação está muitíssimo melhor, embora longe do ideal.

Apesar da melhora, os remadores, principalmente, que fazem uso diário da Lagoa, reclamam do mal cheiro proveniente da mortandade de peixes, cujas ocasiões funcionários da limpeza urbana chegam a tirar toneladas de peixes mortos. Além do odor, as pás das embarcações dos atletas batem nos peixes que, mesmo estando mortos, atrapalham suas performances.

O Dr. Moscatelli dá algumas dicas para a despoluição da Lagoa: fazer o monitoramento permanente das galerias de águas pluviais e das condições físico-químicas e biológicas das águas da Lagoa (isso já é feito), um plano de contingência para eventuais desequilíbrios ambientais, além da melhoria da troca de água entre mar e lagoa.

Publicidade

São essas as características físicas da Lagoa Rodrigo de Freitas:

- formato: polígono irregular;

- perímetro: 7,2 km;

- largura máxima: 3 km;

- espelho de água: cerca de 2,5 km2;

- profundidade máxima: 11m;

- profundidade média: 3,5 m, sendo que cerca de 60% apresentam profundidades entre três e quatro metros.

- maiores profundidades: ocorrem em áreas de dragagem, a oeste do canal do Jardim de Alah e na extremidade sudeste da Lagoa, próximo a Ipanema.

Um evento-teste de remo marcado para agosto deste ano será a primeira oportunidade para o Comitê Rio 2016 testar o novo sistema. Para o bem do esporte, esperamos que os órgãos competentes consigam uma solução definitiva para os problemas ambientais da Lagoa Rodrigo de Freitas. #Rio2016