O mundo do #Futebol continua turbulento e a situação, ao que parece, tende a piorar ainda mais. Após o presidente da FIFA, Joseph Blatter, anunciar que estaria renunciando ao posto para o qual foi eleito, os principais meios de comunicação brasileiros especializados no assunto começaram a veicular outra notícia: o Governo Federal brasileiro estaria encaminhando a renúncia do presidente da CBF, Marco Polo Del Nero.

Caso as especulações se confirmem e o governo resolva agir, a saída do atual presidente deverá ser seguida de uma reformulação ampla em relação ao comando do futebol brasileiro.

O que se sabe até o presente momento é que o governo não estaria planejando tomar nenhuma decisão direta nesse sentido.

Publicidade
Publicidade

O principal motivo para isso é o simples fato de que a CBF trata-se de uma entidade privada. Se algo direto fosse feito poderia ser tido como uma intervenção.

Frente às notícias veiculadas na imprensa nacional os assessores "do esporte" entraram em cena. De acordo com eles o Palácio do Planalto provavelmente irá promover uma espécie de incentivo para que as pessoas que tenham uma ligação direta com o futebol possam apresentar e defender esse caminho (o da renúncia e reformulação) como uma possível solução. Isso tudo vem acompanhado de uma justificativa esperada por quase todos: Os problemas que irão aparecer agora que a corrupção na FIFA está sendo evidenciada em todos os seus aspectos e envolvendo mais e mais pessoas importantes.

Conforme as avaliações feitas pelos assessores da presidência a perspectiva que se tem é de que o escândalo internacional do futebol também chegará ao Brasil e irá atingir pessoas importantes que estão por trás do comando do esporte no país.

Publicidade

Se isso acontecer, o caminho para que uma transformação no futebol brasileiro aconteça estaria aberto.

Voltando um pouco ao passado, desde que a Copa do Mundo aconteceu no Brasil, a presidente Dilma já vinha manifestando em um momento ou outro o seu desejo de que ocorressem de fato sérias alterações na organização do futebol nacional. Isso basicamente inclui a saída da atual geração que comanda o esporte no Brasil. #Seleção