Na semana passada, um grande escândalo abalou o mundo do #Futebol, com as prisões de dirigentes de alto escalão da FIFA (Federação Internacional de Futebol ) incluindo o ex-presidente da Confederação Brasileira de Futebol e ex-governador do Estado de São Paulo, José Maria Marin, Dias depois, foi a vez da renúncia do presidente entidade máxima que regula o esporte, o suíço Joseph Blatter, mesmo conseguindo ser reeleito há poucos dias. 

Mas longe de qualquer suspeita e das investigações do FBI, o ex-jogador Zico não está alheio ao caso. Na verdade, o eterno ídolo do Flamengo segue bastante atento e inteirado à política do mundo da bola, como demonstrou em sua página oficial no Facebook.

Publicidade
Publicidade

Em um post, o ex-jogador se posicionou ratificando seu desejo de substituir Blatter na presidência da entidade no ano que vem: 

- Por que não? Minha vida sempre foi dentro do futebol. Uma paixão que exerci com seriedade e respeito no Brasil e em outros países. Jantando com Sandra pensei nisso. Minha mulher e meus filhos me apoiaram. Fui Ministro dos Esportes, tenho experiência com meu clube e no apoio ao Kashima, ao Japão. Penso no futebol acima da política. Não tenho apoio ainda, mas se é aberto eu posso me candidatar à Fifa. Ainda é uma idéia... Quem sabe?  

Caso a vontade do Galinho de Quintino se concretize, ele terá adversários duros que já almejam esse posto faz tempo, como o Príncipe Ali bin al-Hussein da Jordânia que perdeu recentemente a eleição. Como favorito surge o ex-jogador francês Michel Platini, que atualmente preside a UEFA (União das Federações Europeias de Futebol), sem deixar de manter ligações políticas com inúmeras federações nacionais de futebol que tem direito a voto.

Publicidade

 Devido a esse histórico, Platini foi procurado imediatamente pelos repórteres que lhe perguntaram sobre a decisão de renúncia de seu ex-aliado político; como resposta, o eterno ídolo da seleção francesa, limitou-se em dizer que a decisão tinha sido 'corajosa' e 'correta'. 

Uma coisa é certa: Zico terá bastante apoio, pelo menos entre a torcida brasileira. #Resenha Esportiva