A ginástica rítmica é uma especialidade da ginástica que contém inúmeros meios de movimentos com o corpo, conectados aos elementos de balé e dança, estilo teatro desempenhados de maneira harmônica com a música e coordenados com o manuseio dos utensílios próprios desta modalidade olímpica, que são alguns objetos tais como a corda, o arco, a bola, as maças e a fita. A equipe brasileira conquistou neste sábado, dia 18, sua segunda medalha de ouro na modalidade da ginástica rítmica. E representou bem a nação ao ficar em primeiro lugar na modalidade com fitas.

A ginasta em si necessita ter suavidade, pureza, formosura e claro fazer técnicas marcantes em seus movimentos para revelar sua habilidade e conexão com a música e com suas aliadas na equipe.

Publicidade
Publicidade

Dentro do ginásio, a equipe brasileira expressou bem essas características com seus impressionantes movimentos deixando a torcida emocionada. O segundo ouro foi conquistado pelo sexteto brasileiro depois que Angelica Kvieczynski recebeu a medalha de bronze no arco. Isso prova o quanto na ginástica o Brasil é unido.

Com as duas apresentações exemplares da equipe brasileira de ginástica, 15.000 pontos foram conquistados levando-as para bem longe das concorrentes na tabela. Com a prata, as americanas ficaram com 13.283 pontos e em terceiro lugar, as canadenses adquiriram 12.817 pontos. Esse esporte é uma verdadeira #Arte e somente quem vive em harmonia com a música consegue fazer uma grande apresentação. O físico também é muito cobrado e o atleta precisa mostrar sua habilidade através dos movimentos comuns unidos ao ritmo musical.

Publicidade

As brasileiras já haviam recebido o ouro por equipe em variados aparelhos. Todavia, no individual, a ginasta Angelica Kvieczynski adquiriu o bronze no arco, porém na bola, Angelica terminou na sétima colocação. O Brasil ainda não fez a diferença no individual, mas está surpreendendo a cada dia na modalidade em equipe trazendo mais confiança para o país em alcançar o primeiro lugar na final dos #Jogos Pan-Americanos de Toronto. #Mídia