O sofrimento durou dois dias. Quando o sérvio número 1 do mundo e principal cabeça de chave de Wimbledon, Novak Djokovic, começava a se reencontrar na partida de oitavas de final frente ao sul-africano Kevin Anderson, nesta segunda-feira (6), a luz natural de Londres já não era suficiente para iluminar a quadra e o jogo teve de ser adiado para esta terça (7).

Anderson iniciou a partida de forma arrasadora. Decidido a atacar todas as bolas, fez com que o sérvio padecesse em suas mãos. Ao todo, foram 40 aces disparados durante o jogo, em um aproveitamento de 83% de pontos ganhos quando o primeiro saque entrava. Tamanha agressividade deu a Anderson uma surpreendente vantagem no placar, que chegou a estar 2 sets a 0 para o 14° do mundo.

Publicidade
Publicidade

Depois de perder dois tie-breaks seguidos, Djokovic se viu sem alternativas a não ser vencer o terceiro set e ganhar sobrevida no torneio do qual defende o título do ano passado. Jogando com maior margem de segurança e aproveitando uma quebra logo no início da terceira parcial, Nole abriu larga vantagem e fechou sem maiores dificuldades em 6/1 o terceiro set. No quarto, embora Anderson tenha mostrado maior poder de reação, Djoko também liderou com sobras e fechou em 6/4.

Sem luz natural para que o jogo pudesse seguir e ter a definição no quinto set, a organização do torneio interrompeu a partida e anunciou o término para esta terça-feira. Com 2x2 em sets no placar, os tenistas entrariam em quadra apenas para definir o vencedor da última parcial. Anderson, ao longo do set, esteve mais próximo de quebrar o saque de Djokovic do que ter o próprio serviço quebrado.

Publicidade

Porém, na hora da decisão o peso e a experiência do sérvio na grama sagrada de Wimbledon falou mais alto. No 11° game, Nole aproveitou a rara chance de quebra que teve, e na sequência, cumpriu o seu serviço e fechou o jogo em 6/7 (8) 6/7 (8) 6/1 6/4 7/5, em 3h47min de embate.

Ele encara agora o croata Marin Cilic, nas quartas de final. Djokovic era a representação completa do alívio tão logo o encerramento da batalha contra Anderson. Assim que cumprimentou o juiz de cadeira, agradeceu ao público e dirigiu-se ao centro da quadra. Ajoelhou-se e até beijou a grama da quadra 1 do All England Club. Depois, admitiu: "foi uma das partidas mais difíceis da minha carreira". #Entretenimento #Tênis #Wimbledon 2015