No final de 2012, o argentino Jorge Sampaoli assumiu o comando técnico da seleção chilena em substituição a Claudio Borghi, de desempenho questionado por imprensa e torcida, que já colocava em dúvida a classificação da Roja à Copa de 2014 diante da péssima classificação na metade das Eliminatórias. Com Sampaoli, foram cinco vitórias, um empate e uma derrota nos últimos sete duelos pela classificatória e passaporte carimbado para o Brasil.

Antes disso, os anos de Sampaoli foram um misto de estudo, preparo e idolatria por seu maior mentor: Marcelo Bielsa. Ofensivista ao extremo, Bielsa ganhou um fã pela sua forma de armar as equipes e entender o jogo de #Futebol.

Publicidade
Publicidade

Durante o período em que comandou a seleção argentina (1998-2004), El Loco era monitorado de perto por Sampaoli, que fazia questão de ir aos treinamentos do time em Ezeiza e assistir suas entrevistas coletivas.

O estilo de jogo defendido por Bielsa é visto nos times de Sampaoli, sobretudo na atual seleção chilena, com jogadores leves e dinâmicos a partir do meio campo, saída de bola rápida, marcação pressão e intensidade nos 90 minutos. Depois de cinco anos de trabalho no Peru, Jorge Sampaoli construía suas primeiras raízes com o Chile ao ser convidado para treinar o O'Higgins de Rancagua no final de 2007.

Foram duas boas temporadas, com direito a terceiro lugar no campeonato nacional. Porém, um início desanimador em 2009 culminou com sua saída do clube. As portas se abriam em outro país.

Publicidade

Sem técnico, o equatoriano Emelec fez o convite e Sampaoli aceitou, sagrando-se vice-campeão nacional.

A nova boa campanha do treinador despertou o interesse de outro chileno, dessa vez um gigante, a Universidad de Chile. Nela, Sampaoli chamou para si os holofotes do mundo inteiro, com um estilo de jogo agressivamente ofensivo que sustentou três títulos consecutivos do campeonato chileno e a Sulamericana de 2011.

Pela LaU, Sampaoli trabalhava pela primeira vez com jogadores como Jonnhy Herrera, Rojas, Mena, Marcelo Díaz, Aránguiz e Vargas, todos eles campeões da América do Sul pelo Chile ao lado do antigo comandante. #Copa América