Se no futebol a dúvida se mantem sobre quem é melhor, Messi ou Ronaldo, fora dos gramados o português já demonstrou que é o melhor do mundo nos assuntos de solidariedade social em todo o mundo. Segundo a tabela recente do “Athlete Gone Good”, craque português é que mais ajuda os carenciados, tendo já contribuído para a luta contra a fome mundial, racismo, pagamento de uma cirurgia de uma criança e na luta contra o câncer. Nessa lista de 20 nomes, o nosso Neymar aparece numa honrosa sexta posição, tendo ajudado já muitos garotos brasileiros com condições para eles tornarem seus sonhos realidade, tal como ele fez.

#Cristiano Ronaldo não é só um exemplo para os meninos jogando futebol, o orgulho de Portugal também conquistas seus milhões de fãs com atitudes e comportamentos bonitos, ajudando dessa forma milhares de pessoas que não tiveram a sorte do craque português, durante sua vida.

Publicidade
Publicidade

Vindo de família humilde, Ronaldo sempre afirmou que nunca vai esquecer suas raízes e ajudar outros garotos em situações difíceis é sua prioridade.

A rivalidade do português com Lionel Messi, jogador argentino do time do Barcelona, já dura há muitos anos, mas no que toca a ajudar Ronaldo é o melhor que há nesse mundo. Para a associação “Athlete Gone Good”, um bom exemplo de boa pessoa que é, Cristiano Ronaldo é que o craque nunca fez uma tatuagem em seu corpo porque quer continuar a doar seu sangue a quem mais precisa.

Nessa lista de 20 pessoas, Neymar é o único representante brasileiro, que apesar da sua idade já está colocado na sexta posição, algo muito positivo e que contraria muitos torcedores que sempre acharam o craque um menino pouco humilde e com a mania de "estrela". Lionel Messi nem sequer aparece nessa lista, o que resultou em muitos torcedores de Ronaldo criticando o argentino nas redes sociais, afirmando que ele não é uma boa pessoa.

Publicidade

A seguir a Cristiano, o famoso lutador John Cena se coloca na segunda posição - o lutador é um bom exemplo, principalmente porque serve de inspiração para milhares de jovens.  #Crise #Doença