O que era para ser uma simples postagem no Facebook terminou em massacre no Azerbaijão. Rasim Aliyev, jornalista esportivo local, fez críticas à atitude do meia Javid Huseynov, do Gabala, que exibiu uma bandeira da Turquia depois da partida do seu time diante do Apollon Limassol, do Chipre, pela fase de qualificação da Liga Europa. Ao sair de campo, um repórter se aproximou do jogador e questionou o motivo daquela atitude. Huseynov fez um gesto ofensivo ao jornalista e abandonou a entrevista. Pela rede social, Aliyev defendeu o colega de profissão e a partir de então passou a ser perseguido.

Na postagem, Aliyev, que trabalhava no Azerbaijão, defendeu o jornalista cipriota e chegou a classificar o jogador do Gabala como "mal-educado e imoral".

Publicidade
Publicidade

Por conta de histórica disputas territoriais, que já duram muitos anos, Turquia e Chipre mantêm relações extremamente tensas e conflituosas. Huseynov é um dos atletas mais populares do Azerbaijão e cerca de sete homens abordaram Aliyev na rua para espanca-lo.

No mesmo dia em que fez a publicação em sua rede social, o jornalista começou a receber uma série de ameaças anônimas e também de membros da família do jogador. Ingênuo, Aliyev acabou caindo em uma verdadeira armadilha montada por simpatizantes do jogador. Ele foi convencido a se encontrar com um suposto primo de Huseynov, mas ao chegar no local combinado foi recebido pelo ataque de cerca de sete homens.

As agressões ocorreram na quinta-feira passada e nesta terça-feira a polícia local prendeu o jogador para obter maiores esclarecimentos sobre o caso.

Publicidade

Rasim Aliyev teve sérias fraturas nas costelas e uma lesão no ouvido. Ele chegou a ser internado em um dos hospitais do país e resistiu por alguns dias, mas em decorrência de uma hemorragia interna não conseguiu sobreviver e veio a falecer no último domingo (9).

A diretoria do Gabala, clube de Javid Huseynov, segue atenta aos desdobramentos do caso. Em um primeiro momento, o clube optou por afastar o jogador do elenco. Além de grande ídolo da torcida, o meia era o capitão da equipe. Preso, Huseynov seguirá afastado do clube até que as investigações das autoridades sobre o #Crime sejam devidamente concluídas. #Futebol