Há mais de 24 anos defendendo a camisa do São Paulo, Rogério Ceni se transformou em um exemplo de trabalho e sucesso dentro do #Futebol brasileiro. Aos 42 anos de idade, o goleiro se prepara para pendurar as chuteiras (ou as luvas) no fim de 2015. E sonha em coroar essa despedida com um título para o clube paulista.

O sonho inicial do arqueiro são-paulino era encerrar a carreira com um título da competição mais desejada pelos tricolores: a Taça Libertadores da América. O sonho, no entanto, virou pesadelo após o time do Morumbi ser eliminado nas oitavas-de-final da competição pelo Cruzeiro.

Restou ao São Paulo e ao M1TO, como Rogério Ceni é carinhosamente chamado pelos torcedores são-paulinos, a disputa pelos títulos do Campeonato Brasileiro e da Copa do Brasil.

Publicidade
Publicidade

No Brasileirão as coisas não andam a favor de Rogério, o time paulista faz campanha irregular no campeonato e com a derrota por 3 a 1 para o Galo na 16ª rodada, viu o clube mineiro abrir 8 pontos na liderança da competição. A Copa do Brasil, que esse ano conta com a participação dos times brasileiros que estavam na Libertadores, reacende a esperança de Ceni em terminar o ano com um importante título nacional. A equipe paulista comecará a busca pelo inédito título contra o Ceará, equipe que disputa a Série B do Brasileirão.

Apesar da conquista no primeiro semestre da Copa do Nordeste, a equipe cearense enfrenta neste momento uma grave crise técnica. Aparece na lanterna da Série B e corre sério risco de participar em 2016 da Série C do Campeonato Brasileiro, está neste momento a 6 pontos da última equipe fora da zona de rebaixamento.

Publicidade

Apesar do provável discurso dos jogadores e da comissão técnica do São Paulo sobre as dificuldades que o adversário das oitavas-de-final poderá impor ao time paulista, é consenso entre os jornalistas e torcedores que o São Paulo foi, ao lado de Fluminense e Internacional, um dos times mais beneficiados pelo sorteio desta fase da competição, escapando de confrontos mais difíceis contra Santos e Palmeiras, por exemplo.

Resta pouco mais de 4 meses para o capitão tricolar dar adeus ao futebol. Coroar a aposentadoria com um título nacional expressivo seria um grande presente para Rogério Ceni e para a torcida são-paulina. Resta saber porém, se a equipe paulista terá força e futebol suficiente para superar a irregularidade apresentada até aqui e fazer com que a despedida dos gramados do maior ídolo da história do clube seja em grande estilo.

Cristiano Ronaldo diz o que falta conquistar na carreira e não é um título por Portugal

Gabriel rompe os ligamentos do joelho e não joga mais em 2015