Alguém pode prever o futuro? Certamente que não! Quem diria que o atacante Rogério, natural de Pesqueira-PE e revelado pelas divisões de base do Porto-PE hoje teria uma noite de gala no Morumbi. O fato é que o atacante, mesmo em seus melhores dias quando ainda atuava pelo Porto prometia chegar tão longe. Pelo menos a maioria comunga dessa opinião. No entanto, Rogério foi aos poucos demonstrando que quando se tem "fome de bola" pode-se chegar longe.

Em 2011, Rogério começou o ano no Náutico, após uma passagem rápida pelo Central em 2010. No estadual já se mostrou um atacante rápido que também, na medida do possível, auxiliava em roubar a bola.

Publicidade
Publicidade

No nacional, o Náutico, disputando a série B, viu Rogério se encaixar como uma luva ao fazer ataque com o artilheiro Kieza. O timbu pernambucano naquele campeonato conseguiria o acesso com uma certa tranquilidade.

Em 2012, Rogério, se mostrava já bem à vontade com camisa do Náutico. Nos primeiros jogos no estadual era driblador e um grande assistente, justificando os cinco anos de contrato que o clube fez com o atleta. No entanto, em partida válida pelo campeonato pernambucano, contra o América-PE, o jogador sofreu uma entrada dura, deixando-o de fora meses de campo. Mesmo passando seis meses fora o jogador acabou a temporada como titular daquele bom time do Náutico de 2012. Em 2013, após o Náutico não ter conseguido se manter na série A e tentando diminuir custos, Rogério foi emprestado para um clube dos Emirados Árabes, o Al Dhafra e depois para o Botafogo.

Publicidade

Em ambos os clubes Rogério teve passagens de pouco destaque. 

Em 2015, após uma temporada complicada Rogério mais uma vez é emprestado. Desta vez o Vitória-BA resolve apostar no jogador. Pelo leão baiano, Rogério, conseguiu finalmente voltar aquele jogador dos bons anos no Náutico. Sendo um jogador voluntarioso e de muita entrega, chamou atenção do São Paulo que não tem vivido grandes temporadas, apesar de possuir no elenco jogadores estrelas como Pato e Ganso. O tricolor paulista conseguiu ter o jogador, que chegou sem muito estrelismo e mostrando que ainda não se sentia alguém que seria protagonista.

O dia 05 de setembro será uma data que Rogério, jamais esquecerá, pois se trata de sua estreia em um dos maiores clubes do Brasil. E que estreia. Apesar de rodado, o jogador que ainda tem apenas 24 anos de idade, começa o jogo de titular e nos primeiros minutos quase marca se não fosse a boa defesa de Muriel, goleiro do Internacional. Mas Rogério sempre foi persistente, mostrava disposição ao correr atrás da bola, provava que tem "fome de bola", algo que falta a tantos jogadores estrelas, inclusive alguns do São Paulo.

Publicidade

O tricolor paulista teve certo domínio durante o primeiro tempo, mas a partida continuou 0x0.

Vem o segundo tempo e logo no início, aos 3 minutos, após o cruzamento de Wilder a bola passa por todo mundo e de repente Rogério de "peixinho" completa de cabeça, abrindo o placar. Festa dos mais de vinte mil torcedores do São Paulo, os olhos do Rogério brilhavam comemorando o gol, parecia viver um sonho. Mas o atacante não passou o resto do jogo estasiado com aquilo que já tinha feito. Pelo contrário. Algumas jogadas individuais  e uma disposição que parecia incansável acompanharam o atleta até sua substituição aos 27 minutos da última etapa.

Realmente um dia inesquecível para Rogério e claro para sua família e amigos. Mas para os amantes do #Futebol um dia para nos questionarmos se talvez nossas grandes estrelas tivessem essa "fome de bola" que o atacante Rogério possui será que nosso cenário não seria outro? Parece que a "molecagem" e o prazer atrelado ao orgulho de "jogar bola" estão em poucos que vestem a camisa dos clubes da série A. Ao menos podemos ver isso ainda em Rogério. #Resenha Esportiva