Em mais uma temporada incrível de sua carreira, o sérvio número um do mundo Novak Djokovic começa a empilhar números incríveis e se aproximar de grandes lendas do #Tênis. Em 2015, Nole repetiu 2011 e conquistou três dos quatro Grand Slams possíveis: Australian Open, Wimbledon e US Open. Em Roland Garros, um dos únicos grandes títulos que lhe falta, perdeu na final para o suíço Stan Wawrinka.

Com as três grandes conquistas, Djokovic chegou ao número de 10 Slams conquistados na história. No atual circuito da ATP, apenas Rafael Nadal e Roger Federer o superam neste quesito, com 14 e 17 conquistas, respectivamente.

No retrospecto contra Federer, a vitória na final do US Open, em parciais de 6/4 5/7 6/4 6/4, permitiu a Djokovic igualar o confronto direto na história do duelo.

Publicidade
Publicidade

Com o novo resultado, são 21 vitórias do suíço contra 21 vitórias do sérvio. Por outro lado, Federer saiu derrotado nos últimos três confrontos em jogos de Grand Slam: finais de Wimbledon em 2014 e 2015, e a final do US Open de 2015.

No discurso habitual do campeão do torneio durante a cerimônia de premiação, Djokovic disse que a ótima fase em casa é fruto do momento que também vive como chefe de família.

“Está ótimo. Hoje sou pai, sou casado. Diria até que sou um cara um pouco mais “doce”. E esses grandes resultados é que me dão forças para continuar jogando”, salientou o campeão.

Em números gerais, Djokovic faz um 2015 impecável. No total, foram 63 vitórias e 5 derrotas, com 11 finais disputadas e 7 títulos, sendo três deles de Grand Slam. #EUA #UsOpen