Para muitos especialistas em #Futebol, a Copa do Mundo já começa durante as Eliminatórias, pré-torneio continental no qual as seleções disputam, acirradamente, cada vaga para o mundial. Sendo assim, é possível afirmar, então, que a próxima Copa, na Rússia, que será realizada em 2018, já começa para o Brasil nesta quinta-feira, 8, às 20h30, quando a #Seleção Brasileira estreia nas Eliminatórias Sul-Americanas contra os atuais campeões da Copa América, o Chile, em plena capital chilena, Santiago.

E para esta que promete ser uma difícil partida, o técnico do Brasil, Dunga, teve que fazer três novas convocações. Depois da desistência do lateral-direito Rafinha, do Bayern de Munique (Alemanha), que preferiu não se juntar aos jogadores brasileiros, pois almeja ser convocado para defender a seleção alemã (o jogador está prestes a obter dupla nacionalidade por já jogar a 11 anos na Alemanha), o também lateral-direito Daniel Alves, do Barcelona (Espanha) ganhou nova chance e retornou a seleção.

Publicidade
Publicidade

Em seguida, foi a vez do atacante Roberto Firmino, do Liverpool (Inglaterra), sair da lista dos convocados, no entanto, por conta de uma contusão. Para o seu lugar, o técnico Dunga convocou o experiente atacante Ricardo Oliveira, de 35 anos, que atualmente defende o Santos e, inclusive, é o maior artilheiro de 2015, dentre os jogadores que atuam no Brasil, com 30 gols marcados durante toda a temporada.

Por fim, a terceira nova convocação forçada realizada por Dunga trouxe de volta à seleção brasileira o meia Kaká, que atualmente joga na Liga de futebol dos Estados Unidos. O jogador, que já foi eleitor o melhor do mundo pela FIFA em 2007, foi chamado após o desligamento do meia Philippe Coutinho, do Liverpool (Inglaterra), que, assim como seu colega de clube, Firmino, também se contundiu e teve que ser afastado.

Publicidade

Dos atuais convocados, Kaká é o que mais disputou jogos das Eliminatórias, 29 no total, marcando 10 gols. Se marcar mais dois, o jogador vai superar Romário e Zico, que tem 11 gols, e vai se tornar o maior artilheiro do Brasil neste pré-torneio.

Expectativa para a estreia

Com a chegada de Daniel Alves, Ricardo Oliveira e Kaká, a seleção aumenta a média de idade do elenco para 27 anos. De acordo com o jornalista esportivo André Oliveira, jogadores mais experientes podem ajudar a controlar o nervosismo dos atletas mais jovens. “Acredito que nesse momento difícil que a seleção brasileira passa, totalmente pressionada para resgatar o respeito perdido no cenário internacional, os jogadores mais experientes, mais rodados, como é falado no linguajar do futebol, podem contribuir bastante para equilibrar os ânimos dos mais jovens nessa estreia contra o Chile, que, com certeza, será uma partida muito tensa e catimbada”, acredita.

“Entretanto, as convocações de Kaká, Daniel Alves e Ricardo Oliveira evidencia também a falta de reposição de bons atletas.

Publicidade

É uma geração pobre, se comparada com as gerações passadas. Com a exceção de Neymar, que tem, hoje, lugar de destaque no Barcelona, não há outro jogador brasileiro nesse mesmo patamar jogando na Europa. Nos anos 90 e começo dos anos 2000, por exemplo, o Brasil teve jogadores que foram protagonistas no velho continente. Dentre os principais: Romário, Ronaldo, Rivaldo, Roberto Carlos, Cafu e Ronaldinho Gaúcho. Isso refletiu nas Copas, quando o Brasil chegou a três finais seguidas (1994, 1998 e 2002), vencendo duas delas”, lembra.

“Creio que o Brasil corre, sim, risco de não disputar a Copa, pela primeira vez na história. A expectativa é que essas Eliminatórias sejam uma das mais difíceis para a seleção brasileira, não apenas por esta passar por momento complicado, mas também pelo fato de que há outras seleções fortes na disputa. Chile, Colômbia e Peru têm hoje boas seleções. Além de Argentina e Uruguai, que sempre são favoritas neste tipo de competição. Vai ser uma guerra”, afirma o jornalista. #Blasting News Brasil