O mau momento vivido pelo #Flamengo no momento decisivo do Campeonato Brasileiro poderá custar a cabeça do técnico Oswaldo de Oliveira. Segundo informa o site Paixão #Futebol, dificilmente o treinador permanecerá para a temporada de 2016, e o clube já trabalha nos bastidores para assegurar a vinda de Muricy Ramalho, ex-técnico do São Paulo. No Rio de Janeiro, Muricy treinou apenas o Fluminense, com quem foi campeão brasileiro em 2010.

Nesta semana, Oswaldo completou dois meses em sua nova passagem pelo Flamengo. Contratado em substituição ao contestado Cristóvão Borges, o técnico teve um início avassalador e tirou o rubro-negro das últimas colocações do campeonato rumo à briga pela zona de classificação à Libertadores.

Publicidade
Publicidade

Só que a euforia deu lugar à frustração com cinco derrotas nos últimos seis jogos e, de unanimidade, Oswaldo praticamente virou carta fora do baralho na Gávea.

O que pesa contra o trabalho do treinador é o baixo rendimento mesmo com jogadores caros que a diretoria garantiu ao elenco. Os atacantes Paolo Guerrero e Emerson Sheik, e o meia Éderson, representam grande parte da folha salarial da equipe, e mesmo com eles em campo o rendimento teve uma queda brusca nas últimas rodadas. Na avaliação da diretoria, o time teria que estar jogando melhor com esses nomes à disposição.

Ainda segundo o portal, pessoas ligadas ao clube garantem que Flamengo e Muricy Ramalho já teriam bases salariais acertadas para a próxima temporada. Porém, Muricy, pela sua conduta, nunca teve o hábito de dialogar com equipes que tenham profissionais empregados.

Publicidade

O que poderia fazer com que Oswaldo renasça no comando flamenguista seria uma eventual classificação à Libertadores. Contudo, a derrota no último domingo em casa para o Internacional afastou o Fla da briga pela quarta vaga. No momento, o time é 10° com 44 pontos, cinco atrás do Santos, primeiro classificado em quarto lugar. No próximo domingo, às 17h, ainda com Oswaldo, os cariocas estarão em São Paulo desafiando o líder Corinthians. #Crise