O clima de decisão já toma conta de santistas e palmeirenses, que começam a decidir nesta quarta-feira, 25, o título da #Copa do Brasil 2015. O jogo de ida desta final será realizado às 22h (horário de Brasília) no estádio da Vila Belmiro. Os donos da casa, considerados os favoritos para levantarem esta taça, não fizeram muito mistério com relação a equipe que deve ir à campo amanhã à noite.

Já o #Palmeiras, apostou em esconder o jogo, com treinos secretos e concentração antecipada, com o objetivo de manter os jogadores ligados apenas nesta partida decisiva contra o Santos. Enquanto os santistas buscam o seu segundo título desta competição (venceu a primeira em 2010), os palmeirenses querem levantar a sua terceira taça (já venceu em 1998 e 2012).

Publicidade
Publicidade

Preparação do Santos

O técnico do #Santos, Dorival Júnior, não fez muito mistério para escalar o time titular do ‘Peixe’ que vai iniciar o jogo nesta quarta-feira. Com praticamente todo o elenco à sua disposição, Dorival apenas se preocupou em realizar alguns ajustes de posicionamento dos jogadores em campo e o de controlar a ansiedade dos seus atletas.

Outro ponto bastante combatido pelo treinador santista, foi com relação ao excesso de favoritismo que a imprensa esportiva brasileira vem dando ao Santos para esta decisão com o Palmeiras. Para Dorival Júnior, em todo e qualquer clássico, não existe favorito.

A jornalista Manuela Cavalcante considera o Santos mais bem preparado para a final, mas acredita que a posição de cautela do treinador santista é a ideal para este momento pré-decisão.

Publicidade

“Acho o Santos favorito sim, por tudo que o time vem realizando em campo, sobretudo, nos últimos meses, quando a equipe cresceu em campo, com boas vitórias, muito motivada, inclusive, com a chegada do técnico Dorival Júnior. Mas, ainda assim, trata-se de uma decisão nos moldes do ‘mata-mata’, e tudo pode acontecer”, diz Manuela.

“Além disso, é uma final entre rivais, ou seja, existe a motivação extracampo, que pode muito bem favorecer aquele que não está sendo considerado favorito, no caso, o Palmeiras. Para mim, a postura de Dorival de blindar os seus atletas quanto a esta questão de favoritismo é muito importante para fazer com que estes jogadores entrem focados em vencer a partida, e não acreditando que já são os campeões”, afirma a jornalista.

A principal arma do Santos para amanhã, além do apoio dos seus torcedores, é o quarteto de frente do time, formado por Marquinhos Gabriel e pelos selecionáveis Lucas Lima, Gabriel (o Gabigol) e Ricardo Oliveira, artilheiro do campeonato e do Brasil em 2015.

Publicidade

Preparação do Palmeiras

Bem diferente do Santos, a equipe do Palmeiras preferiu fazer mistério para a partida decisiva de amanhã na Vila. O técnico Marcelo Oliveira realizou treinos secretos, fechados para a imprensa, e antecipou a concentração dos jogadores. Indefinições à parte, é quase certo que o treinador entre com Lucas Barrios, Dudu e Gabriel Jesus na frente, apostando nos contra-ataques para surpreender os santistas.

Segundo afirmou o atacante Lucas Barrios, em entrevista coletiva no início da semana, o favoritismo atribuído ao Santos é um fator motivador para os jogadores do Palmeiras provarem o contrário, e este fator psicológico está sendo muito bem trabalhado pelo treinador Marcelo Oliveira.

De acordo com a jornalista Manuela Cavalcante, este é o caminho que o Palmeiras deve seguir para superar o favoritismo santista.

“Nesta hora tudo que motive os jogadores vale a pena. Tecnicamente o Santos está na frente, mas sabemos que futebol não é só isso, é raça também. Quantas vezes na história deste esporte já vimos o ‘melhor’ cair para aquele que era considerado ‘inferior’? Várias vezes. E quase sempre, quando isso aconteceu, houve a superação na base da raça e da motivação. Acredito que este é o caminho para o Palmeiras sim, e, com certeza, o técnico Marcelo Oliveira está trabalhando isso”, garante a jornalista.