"Não se pode brincar com o #Futebol brasileiro. Jamais brinquem com o futebol pentacampeão do mundo". Com sangue nos olhos e orgulhoso dos seus comandados, o técnico Carlos Alberto Parreira assim resumia a todos o que acabara de ocorrer no Estádio Nacional de Lima, no Peru. Na tarde de 25 de julho de 2004, o Brasil, sem suas principais estrelas, buscou um jogo perdido, viu a Argentina provocar e ganhou nos pênaltis o saboroso título da Copa América.

De fato, o Brasil disputou a competição sem as suas principais estrelas, que, naquela altura, viviam grande fase na carreira. Em uma final contra a Argentina, seria impossível não notar as ausências de jogadores do porte de Cafu, Lúcio, Roberto Carlos, Emerson, Kaká, Ronaldinho Gaúcho e Ronaldo.

Publicidade
Publicidade

Nenhum deles foi ao Peru. Mas quem diria... nem seria preciso.

Frenética na busca por um tão sonhado título e o fim de um incômodo jejum que já durava desde 1993, a Argentina partiu pra cima e arranjou um pênalti aos 20 minutos do primeiro tempo, bem batido e convertido por Kily González. Mas o Brasil era valente. Antes do final da primeira etapa, a antiga parceria dos tempos de Cruzeiro deu resultado e Alex bateu uma falta na cabeça do zagueiro Luisão, que empatou o jogo.

No segundo tempo, o equilíbrio marcou a disputa do clássico e o nervosismo já poderia ser visto em ambos os lados quando Renato acabou furando em bola e deixando-a livre para Delgado, que não perdoou e pôs os hermanos na frente aos 42 minutos do segundo tempo. O desfecho se aproximava e a equipe brasileira não conseguia de modo algum recuperar a bola.

Publicidade

Carlitos Tévez e Andrés D´Alessandro, malandros como manda a etiqueta argentina, prendiam e passavam o pé por cima da bola nos instantes finais de jogo. Foram castigados. Duramente castigados. Assim que tomou a posse novamente, o Brasil partiu para a última tentativa e Diego lançou na área. Luís Fabiano disputou e a bola sobrou para Adriano, no ápice do seu Império, estufar as redes de Abbondanzieri.

Nos pênaltis, os Deuses do Futebol, se é que existem, certamente entraram em ação e deixaram o resultado pender para o lado de quem mais merecia.

Confira os melhores lances:

#Entretenimento #Seleção Brasileira