A “bruxa” parece que está mesmo solta para o lado dos Hermanos. Depois de perder o maior ídolo da atual seleção, o craque do Barcelona #Lionel Messi, lesionado e com previsão de volta apenas para o ano que vem, os argentinos também não vão poder contar com dois outros importantes jogadores do time, Agüero e Tevez, também contundidos, para a partida desta noite contra o Brasil em Buenos Aires, valendo pela terceira rodada das Eliminatórias.

Precisando muito da vitória, pois ainda não venceu na competição (perdeu em casa para o Equador por 2x0 e empatou fora contra o Paraguai por 0x0), a Argentina vai apostar todas as suas fichas em Angel Di María, meia-atacante do Paris Saint-Germain da França, que terá a responsabilidade de liderar os seus colegas nesta partida complicada contra os brasileiros, a partir das 22h (Brasília), no Monumental de Nuñez.

Publicidade
Publicidade

O técnico da Argentina Tata Martino deve montar um esquema com Di María centralizado no meio de campo armando as jogadas, Banega e Lavezzi caindo pelas pontas e com Higuain fazendo o tradicional “pivô”, isolado na frente.

Vida ou morte

Os argentinos estão tratando esta partida como de “vida ou morte” para a seleção de seu país. Uma vitória contra ao Brasil, na difícil situação que o time argentino passa, com derrotas e lesões importantes, pode ser tratada como épica e significar a reação tão esperada pelos Hermanos.

Em contrapartida, uma derrota para os brasileiros, jogando em casa, pode representar a consolidação de uma péssima fase, o que pode também, inclusive, acarretar na demissão do atual treinador argentino, Tata Martino.

Relembre o gol decisivo de Di María contra a Suíça que classificou a Argentina para as quartas de final da Copa do Mundo no Brasil em 2014:

#Futebol #Futebol Internacional