O irlandês e novo campeão peso pena do UFC, Conor McGregor, poderá subir de categoria ano que vem, afirmou o presidente do UFC, Dana White no canal do UFC no YouTube. Ele nocauteou o brasileiro José Aldo em apenas 13 segundos no último sábado, dia 12, no UFC 194,

Dana afirmou que McGregor possui dificuldades em bater o peso da sua categoria atual, que é definida no limite de 66 quilos, e que já ouviu pedidos do treinador do irlandês para que haja uma mudança de categoria, pois o irlandês sofre muito desgaste na perda de peso.

O ideal seria que Mcgregor lutasse no peso leve (limite de 70 quilos), cujo atual campeão é o brasileiro Rafael dos Anjos - que defenderá o seu cinturão no próximo sábado contra o americano Donald “Cowboy” Cerrone.

Publicidade
Publicidade

O impasse na mudança de categoria é que, segundo regras do UFC, quando um campeão sobe ou desce de categoria ele deve deixar o seu cinturão vago, para que haja uma disputa entre outros dois lutadores mais bem posicionados da categoria.

No caso de McGregor, se ele decidisse subir de categoria, o seu cinturão recém adquirido será colocado em disputa provavelmente entre o brasileiro José Aldo e o primeiro desafiante já confirmado, o americano e ex-campeão peso leve, Frank Edgar.

Mas o irlandês não quer deixar o cinturão vago e quer defender título peso pena que possui, desafiando o campeão peso leve. Ou seja, o irlandês deseja ser multicampeão e possuir dois cinturões ao mesmo tempo, algo nunca ocorrido em toda a história do UFC.

Dana White afirmou que estudará o caso, mas que provavelmente não cederá à ambição do irlandês.

Publicidade

O dono do UFC se mostrou favorável a uma disputa entre Frank Edgar contra José Aldo pelo cinturão peso pena caso fique vago, e de um enfrentamento futuro entre McGregor e o vencedor da luta entre Rafael dos Anjos e Donald Cerrone.

Dana também deixou bem claro no vídeo exibido no You Tube que não haverá uma revanche imediata de José Aldo contra Conor McGregor, contrariando a vontade do José Aldo, que permaneceu campeão durante dez anos na organização. #Televisão