Depois de 25 anos jogando no São Paulo, finalmente chegou o dia da despedida do grande goleiro-artilheiro Rogério Ceni. Em noite de festa no Morumbi lotado, o jogo de despedida do maior ídolo do São Paulo reuniu jogadores campeões mundiais de 1992/1993 para um jogo contra os campeões mundiais de 2005.

Logo no início do jogo, Amoroso e Aloísio marcaram para o time de 2005. Na sequência, Cafu descontou para a equipe de 92/93. Ceni foi substituído pelo goleiro Bosco e passou a atuar com a camisa 01 na linha  para delírio da torcida São-paulina.

Josué e Thiago Ribeiro marcaram para a equipe de 2005 e Zetti, após a torcida gritar seu nome, descontou em um pênalti para os bicampeões, muito festejados pelos tricolores.

Publicidade
Publicidade

Quando a partida reiniciou, o goleiro de costas fez referências a torcida e quase levou um gol do meio de campo do próprio Rogério Ceni

No intervalo da partida, a banda paulista Ira convidou o goleiro-artilheiro para cantar junto a música "Envelheço na cidade". O cantor Nasi insinuou que Ceni um dia voltará ao Morumbi como técnico do São Paulo para ser campeão novamente. 

A bola voltou a rolar no segundo tempo e Cafu, com uma boa arrancada da lateral esquerda, fez mais um gol para os bicampeões. E para finalizar a festa, Rogério Ceni marcou um gol de pênalti, que levou a torcida a loucura. A partida foi encerrada com uma contagem regressiva e terminou em 5x2 para os campeões de 2005. 

Finalizada a partida, todos os jogadores ficaram em círculo no meio de campo, enquanto Rogério Ceni, ao microfone, elogiou os colegas e agradeceu a todos, especialmente a torcida, por fazerem parte da história do São Paulo.

Publicidade

Ceni disse também que a camisa de número 01, não seria mais utilizada, pois era uma extensão da carreira dele e seria dedicada aos torcedores do São Paulo "que veem ao Morumbi dar continuidade a essa história". O goleiro, emocionado, revelou aos torcedores seu desejo de ser cremado quando morrer para que suas cinzas fossem jogadas no gramado do Morumbi.

"Meu último pedido, não foi combinado, talvez seja o mais difícil, mais um dia ele vai acontecer. Pedir pros meus familiares, filhos, no dia em que eu morrer, que isso se faça, que eu seja cremado para que joguem as cinzas do meu corpo no Morumbi para lembrarmos tudo o que passamos", disse o mito, ovacionado pela sua torcida. #Famosos #Futebol #Jogos