Apesar do Benfica ter chocado o futebol português com um negócio verdadeiramente histórico na venda de direitos televisivos, que renderam ao clube 400 milhões de euros, o FC Porto se prepara para, dentro de poucos dias, anunciar um negócio igual ou superior ao que o seu rival fez recentemente. Segundo informa o jornal esportivo “A Bola”, o negócio do time portista seria feito com a empresa “MEO” e teria alguns contornos semelhantes ao realizado pelo Benfica. Porém, sem direitos televisivos de nenhuma liga, em termos práticos o FC Porto conseguiu um negócio superior ao seu rival.

O Benfica tem bastantes mais sócios e uma torcida maior que o FC Porto, contudo isso não impede o time do norte de Portugal em conseguir um negócio superior ao seu eterno rival.

Publicidade
Publicidade

Quando o Benfica decidiu, há menos de um mês, oficializar seu negócio com a “NOS” para os próximos 10 anos, que renderiam 400 milhões no total ao clube, nada faria prever que um dos seus rivais conseguisse melhor, especialmente em um curto espaço de tempo.

Segundo garante o jornal “A Bola”, todos os pormenores estão sendo rapidamente resolvidos e, se tudo correr normalmente, o FC Porto e a “MEO” vão oficializar sua parceria para os próximos anos. A publicação avança ainda que, com o contrato com a “Olivedesportos” até à época 2017/2018, o FC Porto pode aceitar pagar uma indenização para sair já na próxima temporada, ou então esperar até que termine esse contrato assinado há poucos anos com a empresa detentora dos canais “SporTV”.

Em um negócio verdadeiramente histórico para o clube português, seguindo também o que está acontecendo por toda a Europa, onde os clubes ingleses e espanhóis conseguiram #Negócios verdadeiramente estrondosos, o FC Porto ultrapassa assim em termos de negócio o Benfica, surpreendendo a torcida de ambos os clubes, que ainda há muito pouco tempo não sabiam que era possível praticar negócios com esses números em Portugal, sobretudo para o Campeonato português, que ainda não é muito seguindo em comparação com os principais europeus.

Publicidade

#Crise #Futebol Internacional