O time argentino River Plate venceu por 1 a 0 o Sanfrecce Hiroshima e se classificou para a final da Copa Mundial de Clubes de 2015. Os times se enfrentaram no estádio Yanmar Nagai de Osaka, no Japão. O jogo de semifinal não chegou a ser muito disputado, visto que o time japonês não conseguiu equilibrar forças com o time argentino.

Como foi a partida

Já nos primeiros 15 minutos, o River Plate jogou com intensidade e pressionou bastante o meio do campo. Pouco a pouco o time japonês conseguiu encontrar espaços na defesa da equipe argentina, fazendo com que o goleiro Marcelo Barovero tivesse que se esforçar muito mais. Ele foi responsável por salvar, em ao menos três ocasiões importantes, o time de levar o primeiro gol.

Publicidade
Publicidade

O primeiro tempo foi encerrado com um controle maior do River Plate sobre a partida, no geral. A equipe japonesa no todo não conseguiu se infiltrar no campo adversário, o que manteve o placar no zero a zero.

A segunda metade do jogo começou mostrando a equipe de Marcelo Gallardo muito mais agressiva, com maior critério e bastante técnica sempre que atacava o oponente. Logo aos três minutos do segundo tempo, Rodrigo Mota acertou o travessão depois de uma jogada coletiva, que representou a primeira jogada de risco real executada pelo time argentino. O River seguiu seu ritmo paulatino e fez com que o time japonês tentasse subir o nível do seu jogo na partida.

Aos 27 minutos, depois de uma péssima saída do goleiro japonês Takuto Hayashi, o jogador argentino Jonathan Maidana se adiantou e cabeceou.

Publicidade

Recuperando a bola com a outra cabeçada, Lucas Alario abriu o placar. Um a zero para o River Plate.

O time do Sanfrecce até tentou pressionar depois disso, mas não conseguiu jogar com claridade e, sempre que passava do meio do campo, parecia não saber como seguir com a jogada. Com passar do tempo ficou patente o desespero dos jogadores japoneses.

Desta forma, o River Plate se torna o primeiro finalista do Mundial de Clubes e agora vai enfrentar o vencedor do jogo entre Barcelona e Guangzhou. #Futebol #Resenha Esportiva #Futebol Internacional