O ano de 2015 tem tudo para ficar marcado no São Paulo Futebol Clube como o pior ano da história da equipe tricolor. Ano em que o clube se viu envolvido em um escândalo de corrupção na cúpula de sua diretoria, com direito a troca de socos entre os dirigentes do clube.

Dentro de campo o ano também foi péssimo, além de ver os três rivais do estado serem campeões - Santos Campeão Paulista, Palmeiras campeão da Copa do Brasil e Corinthians Campeão Brasileiro - o clube amargou eliminações com requintes de crueldade no Paulista e na Copa do Brasil para o Santos, e na Libertadores da América para o Cruzeiro.

Junto a isso, somasse as constantes derrotas do clube paulista para os seus rivais estaduais, sendo duas destas a humilhante derrota por 4 a 0 para o Palmeiras na Allianz Parque e a vergonhosa goleada por 6 a 1 para a equipe reserva do Corinthians na Arena rival.

Publicidade
Publicidade

O São Paulo neste ano foi o clube que mais trocou de treinadores dentre as grandes equipes brasileiras. Começou o ano com Muricy Ramalho, que devido a problemas de saúde teve que deixar o comando do time em abril. No lugar dele assumiu o colombiano Juan Carlos Osorio, que mesmo agradando boa parte da torcida e dos jogadores viu-se envolvido em constantes desavenças com os dirigentes tricolores devido a debandada de jogadores que o clube sofreu durante o ano. Acabou trocando o São Paulo pela seleção mexicana após 4 meses de trabalho.

Doriva, que chegou em momento conturbado politicamente ao clube, durou pouco mais de um mês no comando da equipe. Foi substituído do cargo depois de sete partidas e após a renúncia do ex-mandatário Carlos Miguel Aidar. Para finalizar o ano, assumiu mais uma vez interinamente o auxiliar técnico Milton Cruz, que comandou a equipe até o final do Brasileirão.

Publicidade

Para salvar o ano de altos e baixos dentro do clube, a vaga na Libertadores da América de 2016 apareceu no apagar da luzes e na última apresentação do clube no Brasileirão. A vitória sobre o Goiás por 1 a 0 no Serra Dourada garantiu a equipe paulista na disputa de mais uma Libertadores.

Para finalizar o ano, os são-paulinos viram o seu maior ídolo aposentar-se após 25 anos de serviços à equipe paulista. Rogério Ceni, machucado, pendurou as luvas neste domingo assistindo a equipe das tribunas do Serra Dourada. Resta aos torcedores do São Paulo agora a esperança de um 2016 completamente diferente para o clube. #Futebol #Campeonato Brasileiro