Vítor Baía, antigo goleiro do FC Porto e um dos melhores da história do clube, afirma que está mais que preparado para comandar o clube. Segundo informa o jornal esportivo “Record”, Vítor Baía anunciou em direto, em um programa de televisão, que sente que seria muito útil para o FC Porto e que não tem nenhuma relação atual com a direção portista por ter “medo de retaliações”. Em um momento em que Pinto da Costa vai enfrentar fortes acusações em tribunal, seu lugar pode ser colocado à disposição nas próximas semanas.

Pinto da Costa é considerado por muitos um dos melhores presidentes  que já comandou os destinos de uma instituição esportiva, porém, seus problemas com a #Justiça podem fazer com que o lendário dirigente se aposente mais cedo do que era previsto.

Publicidade
Publicidade

Em causa estão sete acusações de crimes graves, tudo por causa da contratação ilegal de membros de segurança que promoviam ações ilícitas.

Apesar desse não ser o primeiro problema na justiça que Pinto da Costa enfrenta, a sua idade e o fato de cada vez mais a torcida portista questionar suas capacidades de gestão, que tantas alegrias deram ao FC Porto no passado, podem fazer com que o presidente do clube deixe à disposição seu lugar, colocando um ponto final de um percurso notável, levando o FC Porto ce um time médio em Portugal, para uma grande potência internacional.

Como afirma o jornal esportivo “Record”, Vítor Baía assumiu que seria um desses potenciais sucessores ao cargo de Presidente do FC Porto e que tem todas as condições para fazer um grande trabalho, jurando que não teria qualquer tipo de ligações ou não daria continuidade ao caminho seguido atualmente por Pinto da Costa.

Publicidade

Essa alternativa está gerando alguma satisfação por parte da torcida portista que, não apoiando diretamente o antigo goleiro, sente que agora pode ser o momento perfeito para Pinto da Costa sair em alta do FC Porto, dando o lugar a alguém mais jovem e com outras ideias para o clube, que já não ganha o campeonato português há mais de dois anos. #Europa #Casos de polícia