Três estados, 12 equipes e vários problemas para organizar um campeonato. Afinal, qual o motivo além da 'briga de egos' dos cartolas e das Federações (CBF e FERJ) para que ocorra a primeira Copa Sul-Minas-Rio?

As Federações estaduais, destacadamente a FERJ que desde tempos estava em atrito com Flamengo e Fluminense são as que mais oferecem resistência ao planejamento e execução do torneio. Em 2015, durante o andamento do campeonato estadual do Rio de Janeiro por diversas vezes ocorreram declarações de protesto entre os dirigentes dos clubes e a diretoria da Federação.

Fato é, que caso a Copa Sul-Minas-Rio ocorra da forma como está estruturada atualmente, de uma forma geral todas as Federações (Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e Minas Gerais), contabilizarão prejuízo com a novidade de uma Copa que terá equipes maiores e certamente causaria um esvaziamento ainda maior daqueles aos quais os campeonatos estaduais estão se acostumando.

Publicidade
Publicidade

Vários confrontos nos campeonatos estaduais ocorrem entre equipes de baixo investimento (as consideradas pequenas), o Rio de Janeiro teria 2 de seus grandes 'disputando' um campeonato estadual em paralelo com a Copa, e a Federação mineira veria suas duas principais equipes Atlético MG e Cruzeiro com equipes mistas ou 'time B' na competição.

Pelo lado da CBF a questão maior é nitidamente do ego mesmo. A Confederação é a atual responsável por todos os campeonatos nacionais disputados oficialmente e após a lei aprovada ano passado e sancionada pela presidente Dilma, os clubes ganharam autonomia para elaborar competições entre si, sem a necessidade do aval da CBF, que perde a hegemonia no controle das competições. Sua retaliação a Copa era tão esperada quanto certa.

Após recorrer a justiça a CBF conseguiu fazer com que a disputa pela primeira Copa organizada por clubes no Brasil perdesse o caráter de uma competição oficial para uma 'copa amistosa' a exemplo de competições disputadas em janeiro como o torneio da Flórida e a competição sul americana que envolveu clubes paulistas.

Publicidade

O motivo alegado pela CBF e que foi acatado pela justiça foi a de que para ser uma competição oficial a Copa Sul-Minas-Rio deveria constar no calendário anual das competições de #Futebol do país e devido a ser uma 'competição experimental' na qual clubes que deram certeza da participação saíram e depois voltaram, os dirigentes encontraram diversos obstáculos em ponderar todos os pré-requisitos necessários para que a competição ocorresse de forma oficial.

Os próximos capítulos serão brevemente revelados, mas certamente estão ligados a dirigentes que não se entendem e federações que pretendem continuar monopolizando os campeonatos. E você o que acha? Deixe sua opinião nos comentários. #Resenha Esportiva #Campeonato Brasileiro