O jogador brasileiro #Neymar Jr, atacante do F.C. Barcelona, que participou do vídeo promocional da Fifa produzido para ser exibido durante a festa de premiação dos melhores jogadores do mundo, teve a sua liberdade restringida e a imagem adulterada pela Fifa, tendo apagado deliberadamente a frase estampada numa faixa usada na testa pelo jogador, contendo a frase "100% Jesus". A censura à  expressão de fé de Neymar foi visível e passou despercebida pela maioria das pessoas, mas não pelos olhos atentos dos que acompanham o jogador em sua trajetória e são praticantes da mesma #Religião do atleta, incluindo jogadores de #Futebol de outros times.

Publicidade
Publicidade

O trecho de imagem usada foi tirada do original da gravação da comemoração do time, quando sagrou-se campeão da Liga dos Campeões em 2015, durante a festa de premiação. 

A FIFA, que passa por um turbilhão de denúncias e escândalos de corrupção, esta literalmente na mira da imprensa e dos amantes do futebol, incluindo os brasileiros fanáticos pelo esporte, e o fato desagradou a população do país em geral, que é o segundo maior em número de adeptos do Cristianismo, com mais de 175 milhões de cristãos. A frase "100% Jesus" estampada na 'testeira' foi usada por Neymar na partida contra o Juventus e a notícia já causa indignação mundo afora.

Entre os que manifestaram indignação com a censura, está o conhecido colaborador do site "Púlpito Cristão", Wesley Moreira, que fez duros comentários ao caso: “Me pergunto sobre os motivos para a censura da FIFA”, e escreveu dizendo que não advoga a favor do nível de fé de Neymar e que a censura não foi em torno dele, e sim contra a liberdade de expressão da fé e seus símbolos.

Publicidade

Ainda se referindo à Fifa, Moreira afirma que a Federação pode ter sido motivada para, em suas palavras, “satisfazer os anticristãos europeus e agradar seus investidores árabes muçulmanos” presentes no evento, cujo atacante Neymar concorria como indicado ao prêmio de “Melhor do Mundo”. Wesley ainda tece outros comentários no site, dizendo que se acha indignado por ainda ver esse tipo de censura e que se escandaliza de ver nos dias de hoje, o nome de Jesus sendo vetado e ser motivo de ofensa. Entre outros comentários, ele diz que acredita que nem o maior dos profetas poderia prever uma situação de tamanha inversão de valores e falta de moral, onde prevalece o politicamente correto. 

Mas a censura da Fifa não perdurou mais do que o tempo do jogador brasileiro Wendell Lira receber o "Prêmio Puskas", de Gol mais bonito do ano de 2015, na qual ele, no seu agradecimento, falou aberta e declaradamente sobre sua fé e gratidão a Deus, citando a conhecida paisagem bíblica da derrota do gigante Golias por Davi. 

A Fifa ainda não comentou o caso oficialmente, que ganha proporções maiores a cada dia.

Publicidade

O site de notícias europeu "Actual", informou que a entidade se justificou dizendo que fez a maquiagem no vídeo com intuito de "evitar ofender sensibilidades",  e diz em uma matéria que não aceita a desculpa da Fifa, já que o ato praticado pela instituição incentiva a discriminação aos Cristãos e viola a Declaração Universal dos Direitos Humanos que protege o direito de liberdade religiosa. A notícia já corre o mundo em sites de quase toda a Europa. O "Actual" ainda informa que já existe uma petição oficial da "HazteOir.org" coletando assinaturas para pedir à FIFA que se manifeste pelo ocorrido, pedindo desculpas. Até o momento do fechamento desta matéria, o jogador Neymar também havia se pronunciado oficialmente sobre o fato.