Lopetegui não saiu por causa dos maus resultados ou pela pressão dos portistas, mas sim por pressões financeiras relacionadas com Imbula. Segundo informa o site “Goal”, Pinto da Costa foi obrigado a demitir o técnico espanhol, mesmo contra sua vontade, por indicações do fundo “Doyen” que, como é detentora de 50% do passe do jogador Imbula, não gostava de ver seu ativo sentado no banco de suplentes nos jogos oficiais do clube. Sendo a contratação mais cara da história do futebol português, cerca de 20 milhões de euros, o FC Porto e sua direção são pressionados constantemente para colocarem o jogador francês a titular.

Pinto da Costa sempre demonstrou publicamente total confiança em Lopetegui, sua escolha pessoal, pelo que o anúncio de sua demissão a meio da temporada, ainda lutando por vários títulos surpreendeu muitos portistas que não têm a certeza se essa foi a melhor decisão.

Publicidade
Publicidade

Porém, segundo garante o site “Goal”, a decisão não foi de Pinto da Costa ou da direção portista, mas sim da “Doyen”, um fundo que pressionou o clube quase diariamente por causa de Imbula.

Na verdade, depois de ter causado muitos transtornos ao Sporting, que também sofreu com as fortes exigências dos responsáveis do fundo “Doyen”, o FC Porto está também sofrendo dos mesmos problemas atualmente, visto que o fundo tem dezenas de milhões investidos em ativos do clube e que seus lucros estão diretamente relacionados com o uso e o desempenho desses mesmos jogadores, incluindo o mais caro deles todos, Imbula.

O jogador francês, de apenas 23 anos, além de ter sido o mais caro da história do futebol português, veio rotulado como um dos próximos melhores médios do futebol mundial. Contudo, depois de vários meses jogando de titular, Imbula desiludiu e perdeu a confiança de Lopetegui, que colocou o ativo mais forte do FC Porto nas reservas durante várias partidas.

Publicidade

Essa decisão arrojada, que até teve o apoio da torcida portista, que também não está convencida com o jogador, parece ter sido a razão principal para o FC Porto ter sido literalmente obrigado a demitir Lopetegui, mesmo contra a vontade do seu presidente. #Negócios #Europa #Futebol Internacional