O plano de Florentino Pérez era ter Zinedine Zidane como técnico do Real Madrid. Fato. Mais cedo ou mais tarde, o ídolo francês que até o final de semana era o treinador do Real Castilla, seria chamado para ocupar o cargo de manager do elenco principal. A demissão de Rafa Benítez e a falta de opções no mercado, foram os argumentos necessários para o presidente do clube merengue antecipar um plano futuro e tentar acabar com a ''crise'' madridista.

Zidane antes de ser treinador, é uma lenda viva, um dos maiores jogadores da história do #Real Madrid e do #Futebol mundial. A escolha de Florentino Pérez nada tem a ver com o retrospecto de Zizou no comando do Castilla, até porque os números do francês comandando o clube de base merengue, não são de impressionar.

Publicidade
Publicidade

Florentino Pérez tem sofrido pressão por parte da torcida, que já não concorda com as escolhas do ''homem do baú'' do Real. É um consenso que a demissão de Carlo Ancelotti ao fim da temporada passada, e a chegada sem um porquê de Rafa Benítez, serviram para desestruturar o ambiente do clube.

Zidane chega para ser uma espécie de elo da paz, unindo a torcida novamente, que na ideia de Florentino Pérez, não terá coragem de vaiar o time sob o comando de um eterno ídolo merengue, e ser a referência para o elenco de estrelas com egos altamente inflados, situação não muito diferente do que viveu atuando pelo clube de 2001 à 2006.

Como atleta, Zidane atingiu um nível de idolatria jamais visto no Real Madrid. Na última partida com a camisa merengue, no empate diante do Villareal (consequentemente a última por um clube), as vésperas da Copa do Mundo 2006, a comoção era tamanha no Santiago Bernabéu, a ponto de alguns torcedores levantar cartazes pedindo para que o árbitro não apitasse o fim do jogo, pois somente assim, Zizou não encerraria sua carreira. 

Aos 43 anos, esta será a primeira grande oportunidade do francês após o fim da carreira como atleta.

Publicidade

Antes já tinha sido auxiliar de Carlo Ancelotti e depois assumiu a função de treinador do Real Madrid Castilla. A experiência de Zidane na função é curta e precisará de muito respaldo, já que em um primeiro momento não é possível prever se o ídolo merengue terá sucesso ou se de fato caiu em uma arapuca para eximir Florentino Pérez da pressão e das responsabilidades. #Futebol Internacional