O uruguaio Pablo Cuevas continua impossível neste começo de temporada. Depois de ter erguido o troféu do Rio Open, na semana passada, o número 27 do ranking de entradas da ATP agora luta pelo bicampeonato do Brasil Open, ambos disputados sobre o piso de terra batida. Neste sábado, o uruguaio despachou o sérvio Dusan Lajovic por 2 sets a 0, com parciais de 6/3 e 6/4, anotando sua oitava vitória consecutiva.

Na decisão deste domingo, no Esporte Clube Pinheiros, o experiente tenista de 30 anos vai enfrentar o espanhol Pablo Carreño Busta, 67º do mundo, e que na abertura da rodada eliminou o compatriota Iñigo Cervantes com extrema facilidade, ao anotar duplo 6/1.

Publicidade
Publicidade

No retrospecto direto, Cuevas contabiliza dois triunfos em três encontros realizados até o momento. Caso consiga o bicampeonato, o uruguaio deve aparecer no top 25 da ATP. 

Responsável por eliminar o brasileiro Thiago Monteiro na fase de quartas de final, o uruguaio tenta o quinto título de primeira linha em sua carreira, em seis finais. Ele já ganhou os torneios de Umag, Bastad (ambos em 2014), o Brasil Open do ano passado, além do ATP 500 do Rio - todos no saibro. Em duplas, ele ganhou Roland Garros em 2008, com o peruano Luis Horna. Vale ressaltar que Cuevas só deslanchou em 2013, depois de se recuperar de uma grave lesão no joelho. A contusão - que o deixou afastado do circuito por quase dois anos - por pouco não encerrou sua carreira, como ele mesmo admitiu depois erguer o troféu do Rio Open.Com quatro troféus conquistados, Cuevas desafia um rival que nunca disputou uma decisão deste porte.

Publicidade

No entanto, o espanhol está em ascensão e promete dificultar a vida de seu oponente.

Pablo Carreño Busta ainda pode conseguir um feito maior ainda, já que garantiu vaga na decisão também na chave de duplas. Ele e o compatriota David Marrero despacharam o eslovaco Andrej Martin e o chileno Hans Podlipnik-Castillo por 2 sets a 1, com parciais de 6/3, 3/6 e 10-6. Na final, eles têm encontro marcado com o chileno Julio Peralta e o argentino Horacio Zeballos, algozes  de Guillermo Duran e Andres Molteni, da Argentina, com o placar de 6/1 e  6/4. O torneio, jogado em quadras de saibro, distribui premiação total de US$ 436.220.  #Entretenimento #Tênis #Resenha Esportiva