Ainda não foi desta vez que o brasileiro Anderson Silva demonstrou sua fama de maior lutador do #UFC de todos os tempos. Na noite deste sábado, na O2 Arena, em Londres, o veterano lutador demonstrou muita força de vontade, porém acabou perdendo para o destemido britânico Michael Bisping, em decisão unânime dos juízes. No final, os responsáveis por analisar o combate deram notas 48 a 47 após cinco rounds de pura adrenalina, em duelo válido pelo card principal do UFC Fight Night 84.

Anderson Silva não entrava em ação desde janeiro de 2015, quando derrotou o norte-americano Nick Diaz. Entretanto, o triunfo foi anulado por conta de uma amostra positiva de doping do brasileiro de 40 anos.

Publicidade
Publicidade

Com a pena reduzida, ele pôde voltar aos UFC antes do previsto e chegou a dar a impressão de que poderia reviver seus melhores momentos. Com provocações de ambos os lados, principalmente do 'Spider', o que se viu foi uma luta equilibrada, com Bisping extremamente concentrado e em plena forma física e técnica.

Com a torcida o apoiando em peso, Bisping obteve dois knockdowns sobre Silva, certamente decisivos para a decisão dos juízes. Posteriormente, em um momento bastante tenso, o britânico levou uma joelhada voadora e caiu, mas o gongo encerrando o terceiro round já havia tocado. O golpe poderia ter prejudicado o desempenho do inglês, cujo estilo de trocação e luta em pé continuou minando as forças do 'Spider'.

Com os dois no ataque no round derradeiro, o árbitro Herb Dean precisou interromper rapidamente a luta, pois Bisping sangrou depois de levar um chute alto do oponente.

Publicidade

O ímpeto dos lutadores se intensificou e Anderson Silva tentou um golpe semelhante ao que aplicou diante de Vítor Belfort, quando levou o compatriota à lona, em 2011, com um chute na altura do rosto. Já mais para o final do embate, tanto o britânico quando o brasileiro passaram a se respeitar, talvez contando que já tivessem feito o suficiente para celebrar a vitória ao soar do gongo. Para a infelicidade de 'Spider', os juízes deram triplo 48 a 47 para o atleta da casa, o que enfureceu o ex-campeão dos médios. Foi o suficiente para o brasileiro disparar até contra a política de seu país. "Não tem como vencer, é muita corrupção. Aqui está que nem o Brasil", detonou o lutador radicado no Paraná, nitidamente insatisfeito com o resultado final.

Para Bisping, vencer uma lenda como Anderson Silva pode credenciá-lo a disputar o título dos médios, contra Luke Rockhold, o atual campeão, ou Chris Weidman. Anderson Silva ainda tem um enorme jejum para "nocautear". Seu último triunfo ocorreu em outubro de 2012, contra Stephan Bonnar.

Publicidade

Depois, foi derrotado duas vezes por Weidman, sendo que no segundo encontro sofreu uma fratura, ao tentar um chute baixo, que por pouco não encerrou sua carreira. Com o revés desta noite, o brasileiro provavelmente terá de esperar um bom tempo por uma nova oportunidade de demonstrar que ainda pode causar estragos aos adversários que estão surgindo.  #Entretenimento #Resenha Esportiva