Enfim o zagueiro uruguaio Diego Lugano fará sua reestreia com a camiseta do São Paulo. O jogador está entre os relacionados pelo técnico Edgardo Bauza e ao que tudo indica, será titular na partida deste domingo, contra o Rio Claro, ás 17h, no estádio do Pacaembú, pelo Campeonato Paulista.

No treino desta manhã, no CT da Barra Funda, “Díos”, como é chamado carinhosamente, formou dupla de zaga com Rodrigo Caio e participou normalmente do trabalho comandado por Bauza. No entanto, o treinador argentino não divulgou os onze que iniciarão a porfia. Certo é que Michel Bastos está fora. Com isso, Rogério e Kelvin brigam pela vaga.

Publicidade
Publicidade

No ataque, Calleri deverá atuar, já que Alan Kardec, se recupera de um corte no pé.

Na coletiva de ontem, o ídolo tricolor disse estar ansioso para o seu retorno e reencontro com a torcida são paulina. “Estou bem ansioso. Eu tive um treinador que me falava que quando mais velhos ficamos, a ansiedade só aumenta porque temos menos tempo. Quero sentir o calor da torcida, vestir o manto sagrado. Acho que esse nervoso bom eu não sentia quando sai do São Paulo, é muito significativo. Estou com a mesma fome, o mesmo respeito e vontade. Tomara que com os mesmos resultados da outra passagem”.

Após derrotas para Corinthians e The Strongest, o elenco tricolor recebeu duras críticas de torcedores e inclusive, do assessor da presidência do clube, Rodrigo Gaspar. O dirigente, em uma publicação nas redes sociais, chamou Michel Bastos e Milton Cruz, de “erva daninha”, e que ambos fazem mal ao grupo de jogadores.

Publicidade

O polivalente Rodrigo Caio, também acabou sendo alvo. Chamado de “jogador de condomínio” e sem personalidade. Além de dizer que o atacante Centúrion, é uma “piada”.

Lugano se pronunciou a respeito do episódio e disse não ter paciência com casos como este. “Não tenho paciência, não tenho saco para ficar com essa de falar ou não falar. É o nosso mundo. É assim. Se não vencer, a crítica chega. Vem do clube, de fora e de todos lados. Não tenho paciência para ficar analisando essa bobagem de quem falou ou não falou. Temos de ganhar jogos e fechar aqui dentro. É o único jeito de ter uma imagem vitoriosa e tornar a opinião pública boa. Mas sempre haverá crítica, mesmo com vitórias e títulos”, afirmou.

Em entrevista perante a imprensa, o presidente Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, classificou a situação cometida de “cabeça quente” pelo seu assessor e que deposita confiança e prestígio. Segundo o mandatário tricolor, ela não representa a opinião da diretoria.

Além disso, jogadores fazem um pacto de silêncio em razão de direitos de imagens atrasados.  #Futebol #Resenha Esportiva #Copa Libertadores