O Benfica chegou a um pré-acordo com o Paços de Ferreira para a venda do jovem jogador Diogo Jota, que tem sido considerado um dos melhores jovens da Liga Portuguesa. De acordo com a “Rádio Renascença”, o Presidente do Paços garantiu que está tudo acertado para Jota abandonar o clube e seguir para o Benfica no final da presente temporada. O líder do clube português garantiu também que um outro clube mostrou interesse no jogador, ao que tudo indica o Atlético de Madrid, mas que o Benfica conseguiu fechar primeiro o negócio.

Jota está vivendo a melhor temporada da sua ainda curta carreira, conseguindo, com apenas 19 anos, entrar em um dos maiores clubes portugueses, um feito muito raro sobretudo quando se trata de um jovem jogador português.

Publicidade
Publicidade

Os contornos do negócio ainda não são conhecidos, mas o Benfica não perdeu tempo em convencer o Paços de Ferreira para ceder um dos seus melhores jogadores.

“Aguardo só que o Benfica chegue a um acordo com o jogador. [...] Tenho a certeza que dará o salto e vai jogar nos mais altos patamares do futebol europeu”, garantiu muito orgulhosamente o presidente do Paços de Ferreira em declarações à “Rádio Renascença”. Assim, e como faz parte da nova política de contratações do Benfica, mais um jovem português vai lutar para ser uma peça importante no Benfica para a próxima temporada, se juntando a Gonçalo Guedes, Renato Sanches e Nelson Semedo, todos eles portugueses e jovens, que têm conseguido mostrar muita qualidade no seu futebol.

Nas redes sociais, o negócio é aplaudido pela maioria dos benfiquistas, que veem em Diogo Jota um dos maiores talentos do futebol português para os próximos anos.

Publicidade

Contudo, e em uma fase decisiva da temporada, o Benfica está agora concentrado em conseguir assumir de uma vez por todas a liderança do Campeonato Português e de conseguir passar para a próxima fase da Liga dos Campeões, um feito muito importante para o clube, sobretudo em termos financeiros, visto que o Benfica está agora fazendo uma enorme contenção de custos, ao contrário do que aconteceu nos últimos anos. #Negócios #Europa #Futebol Internacional