O descaso toma conta do estádio Jornalista Edgar Augusto Proença, mais conhecido como 'Mangueirão'. As pessoas que passam pelo local se deparam com um panorama desagradável: muita lama falta de limpeza, buracos.

O problema se agravou devido às obras que estão sendo realizadas na Avenida Augusto Montenegro, do BRT (Bus Rapid Transit) e Estádio Poliesportivo. Outro fator que causa transtornos ao local são as chuvas e os transeuntes sofrem, pois o setor da bilheteria fica inacessível.

Os torcedores que vão ao estádio assistir aos jogos enfrentam problemas, pois quando acontecem chuvas torrenciais, a grande quantidade de água que se acumula acaba dificultando a entrada para o local.

Publicidade
Publicidade

O estacionamento se torna inviável para os motoristas, os mesmos acabam não encontrando vagas para estacionar os carros, também se deparam com uma iluminação fraca nas ruas e a segurança deixa a desejar.

Os que utilizam a localidade para realizar exercícios físicos ou demais atividades, acabam passando por transtornos. Luiz Carvalho (48), vigilante de veículos disse que o descaso é grande, há poucos espaços para estacionarem e este fator causa o aumento dos assaltos, que estão ocorrendo à luz do dia.

Os donos dos veículos acabam estacionando os carros em locais indevidos, até dentro de buracos e muitos se sujam de lama, isso acontece pela falta de estrutura ao redor do estádio.

Os motoristas no local

Muitas pessoas que estão aprendendo a dirigir e fazem aulas através das autoescolas, usam a área para treinarem.

Publicidade

Mas enfrentam o abandono do local e mau funcionamento, principalmente do estacionamento.

De acordo com Evandro Mora,  as ruas estão sem manutenção, o que dificulta para o aprendiz ter um bom resultado. O carro também é prejudicado, pois acaba se danificando com os impactos causados pelos buracos na pista, muitas vezes ficam presos na lama e acabam não funcionando.

Para Evandro, o Mangueirão está " Deus dará", abandonado pelos órgãos públicos. A construção do BRT, é que ocasionou os vários problemas na localidade, pois os materiais da obra ficam sem destino, jogados nas ruas. São lascas de madeira, tubos, pedras e outros objetos e os mesmos podem ser utilizados pelos delinquentes, nos dias de jogos.

Roberto Paiva, agente administrativo informou que o local poderia ser utilizado para a construção de uma praça pública, com equipamentos de ginástica, e área de esporte para as pessoas. #Curiosidades